Novas informações sobre o Tensor, o chipset proprietário do Google Pixel 6, foram reveladas pela plataforma de análise de componentes Geekbench. Apesar dos esforços da fabricante em destacar o aparelho como superior aos topos de linha de outras fabricantes, as especificações revelam um processador semelhante ao intermediário Snapdragon 765G, da Qualcomm.

De acordo com os dados da plataforma, o Tensor contará com dois núcleos funcionando a 2,80 GHz, dois a 2,25 GHz e quatro a 1,80 GHz, provavelmente sendo quatro núcleos Cortex-A78 agrupados em dois e quatro núcleos Cortex-A55. Na teoria, estes núcleos deveriam resultar em um desempenho próximo ao Snapdragon 888, presente em topos de linha como o Mi 11 e o Samsung Galaxy S21. Apesar disso, o resultado não atende as expectativas.

publicidade

Em desempenho, o Pixel 6 marcou 414 pontos no teste single-core e 2074 no teste multi-core, consideravelmente menor que a pontuação média do Snapdragon 765G, o mesmo processador do Pixel 5a. Além das informações de processamento, o Geekbench indica o Pixel 6 Pro com 12 GB de RAM.

Leia mais:

Desempenho camuflado

O baixo desempenho do Tensor não quer dizer que o Pixel 6 será um smartphone fraco. De acordo com o Google, o novo chipset utilizará tecnologia de aprendizado de máquina para aprimorar o seu uso.

Além disso, as condições do teste realizado pelos usuários do Geekbench não foram reveladas, podendo se tratar de aplicações com baixo uso de energia, o que interfere no processamento.

O Pixel 6 chega ao mercado internacional em 4 de outubro. Além do chip Tensor, o smartphone contará com telas AMOLED de 6,4 polegadas e 6,7 polegadas (na versão Pro) com taxa de atualização de 120 Hz. O smartphone também será um dos primeiros a receber o novo Android 12.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!