A Administração de Combate às Drogas (DEA, na sigla em inglês) –  órgão de repressão às drogas da polícia federal dos Estados Unidos – pediu que os norte-americanos não comprem remédios prescritos de maneira on-line.

De acordo com a instituição, essas pílulas vendidas pela internet são falsas e possuem altas doses de fentanil e metanfetamina, o que pode ser fatal. “Comprimidos falsificados que contêm essas drogas perigosas e extremamente viciantes são mais letais e mais acessíveis do que nunca”, afirmou a administradora da DEA, Anne Milgram.

publicidade
comprimidos
Autoridades norte-americanas alertam sobre remédios falsos fatais. Crédito: Shutterstock

A agência federal disse, em comunicado, que os remédios são falsificados para serem vendidos como Oxycontin, Vicodin e Xanax ou Adderall, e podem ser encontrados em qualquer rede social ou plataforma de comércio eletrônico.

“As análises de laboratório da DEA revelam que dois em cada cinco comprimidos falsos com fentanil contêm uma dose potencialmente letal”, informou a instituição que afirma que os EUA registraram o maior número de mortes por overdose da história no ano passado.

Neste ano, foram apreendidos cerca de 9,5 milhões de comprimidos falsos. O número supera a soma dos últimos dois juntos. O problema é tão sério que está a primeira vez que o DEA se pronuncia publicamente desde 2015.

Leia também!

O fentanil é uma espécie de opióide sintético utilizado para aliviar as dores, enquanto a metanfetamina é conhecida por se tratar de um estimulante cerebral que pode causar complicações graves, como ansiedade excessiva, transtorno de personalidade e muitos outros problemas.

A junção das drogas é comum em remédios falsos e a grande maioria das produções destes medicamentos acontece no México, com insumos químicos vindos da China, segundo o DEA.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!