Os sonhos são, ainda, uma parte muito incompreendida da mente humana, mas cientistas da Universidade de Wisconsin–Madison and the Lucidity e o Instituto Lucidity, no Havaí, experimentou o uso de uma droga que, segundo eles, pode ajudar a desencadear sonhos lúcidos – aqueles onde você, dentro do sonho, sabe que está sonhando.

“Sonhos lúcidos” são, infelizmente, uma raridade humana. Estimativas apontam que apenas metade das pessoas consegue passar por essa experiência e formas de controlá-la apresentaram resultados pouco produtivos. O time por trás do estudo, que é de 2018 mas passa atualmente por revisão, está pesquisando essa possibilidade por meio de um remédio chamado “galantamina”, comumente usado no tratamento da doença de Alzheimer.

publicidade

Leia também

Imagem mostra um homem triste com as mãos na cabeça, simbolizando traumas. Estudo mostra que sonhos lúcidos podem ajudar pessoas a superar dificuldades psicológicoas
A experiência de sonhos lúcidos – quando você sabe que está dentro de um sonho – pode ajudar profissionais da psicologia a atacarem traumas e medos de seus pacientes de forma mais eficaz (Imagem: Tero Vesalainen/Shutterstock)

Funciona assim: os cientistas acreditam que os sonhos lúcidos têm uma relação com um composto químico chamado “inibidor de acetilcolinesterase” – “AChEls”, para os íntimos. Basicamente, ele age inibindo a ação de um neurotransmissor chamado “acetilcolina” – tecnicamente, o primeiro neurotransmissor descoberto na história.

A galantamina que trata o Alzheimer é rica em AChEls, trazendo efeitos colaterais leves em seu uso. Com base nessas informações, os cientistas reuniram 121 voluntários para tomarem o fármaco e, literalmente, deixá-los dormir para estudarem a capacidade deles não só de experimentarem sonhos lúcidos, mas também de lembrá-los em detalhes depois.

Essas pessoas, é importante ressaltar, são em si entusiastas dos sonhos lúcidos, e foram cuidadosamente selecionadas. Ao longo de três noites consecutivas, eles tomaram, nesta ordem, um placebo (uma pílula sem nenhum efeito), uma dose de 4 mg de galantamina e, finalmente, uma dose de 8 mg do mesmo remédio. Técnicas de indução de sonhos também foram aplicadas, ainda que a eficácia delas não tenha muita solidez científica.

Os resultados obtidos parecem de fato apontar para uma indução direta de sonhos lúcidos: na ingestão de placebo, 14% dos participantes afirmaram terem experimentado a situação. Na dosagem de 4 mg, esse número aumentou para 27% e, finalmente, 42% com a dose concentrada de 8 mg.

As pesquisas de sonhos lúcidos, vale lembrar, não derivam apenas de um interesse lúdico: psicólogos concordam que muitos de nossos traumas e medos se manifestam em sonhos, embora essa parte do psicológico humano seja naturalmente descontrolada, e dependente de vários fatores.

Os sonhos lúcidos em si são uma manifestação fantástica da psique, mas o fato de você estar ciente de que aquilo é um sonho permite que você o vivencie de forma a, com sorte, reconhecer seus problemas e encontrar maneiras de enfrentá-los. “Esse novo método tem a taxa de sucesso que precisamos para sermos capazes de conduzir pesquisas com os sonhos lúcidos”, disse o psicólogo Denholm Aspy, da Universidade de Adelaide, na Austrália, que não estava envolvida no estudo.

Evidentemente, isso não significa que podemos correr para as farmácias em busca de galantamina (felizmente, é um fármaco que requer receita médica). Como dissemos, o estudo é promissor, mas está em processo de revisão. Isso significa que outros cientistas deverão, de forma independente, reproduzir a pesquisa e aprová-la somente se os mesmos resultados aparecerem.

Até lá, isso ainda tem tempo.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!