Muitas pessoas costumam comprar coisas no impulso e, depois, não veem a mínima utilidade nelas. Quem nunca, não é mesmo? Mas, um morador da Flórida, nos EUA, que não quis se identificar, foi bem longe nessa história de adquirir “cacarecos”… bem longe MESMO. Ele simplesmente comprou uma rocha da Lua em um simples bazar de garagem.

O objeto, que foi parar no fundo de uma velha caixa na casa do americano, foi trazido à Terra na missão Apollo 17, em 1972, e doado ao estado da Louisiana pelo então presidente Richard Nixon. Na época, foram trazidas centenas de rochas da Lua, e 200 delas foram distribuídas por Nixon aos 50 estados americanos.

publicidade
Amostra lunar trazida à Terra na missão Apollo 17. Imagem: Arquivo collectSPACE

Entenda a história

De acordo com o comprador, ele não faz ideia de por quanto tempo permaneceu de posse da pedra nem mesmo que ela seria um artefato tão valioso. “Eu não posso nem dizer por quanto tempo eu o possuí”, disse o homem à CollectSPACE. “E nem tenho certeza de quanto eu paguei por isso”.

Como era acostumado a frequentar bazares de garagem há cerca de 15 anos, um hábito muito comum nos EUA, ele acredita que, provavelmente, tenha mantido a rocha consigo mais ou menos por esse período de tempo.

Leia mais:

É uma história bizarra – e ninguém imagina como uma amostra lunar da missão Apollo 17 acabou indo parar em uma venda de garagem. Mas, o episódio aponta para um problema muito maior: não apenas essa, que agora foi recuperada, mas outras centenas de rochas lunares desapareceram ou foram roubadas, de acordo com o site The Advocate, e a maioria ainda continua totalmente desaparecida.

Artefato foi entregue de volta ao Museu do Estado de Louisiana, que ainda está a procura de uma pedra lunar da missão Apollo 11 que também desapareceu. Imagem: Arquivo collectSPACE

Maioria das amostras lunares das missões Apollo estão sob poder da Nasa

De acordo com o site The Byte, a grande maioria das amostras lunares trazidas durante as missões Apollo permanecem seladas pela Nasa. 

Em relação às amostras que Nixon doou aos estados americanos, territórios do país e governos estrangeiros, da maior parte não se tem notícia. Uma pequena porcentagem foi relatada como roubada. 

No entanto, a grande maioria, como a amostra da Apollo 17 que o homem da Flórida entregou em mãos ao Museu do Estado da Louisiana, desapareceu sem nenhuma explicação clara.

“Quanto ao pedaço da rocha lunar da Apollo 17 que foi dada à Louisiana, [a curadora-chefe do Louisiana Art and Science Museum, Elizabeth] Weinstein não tinha ideia de onde poderia estar”, diz um artigo do site The Advocate, que revela que o estado da Louisiana está a procura de outra amostra desaparecida, que veio da missão Apollo 11, em 1969. “O Museu do Estado de Louisiana, os arquivos do estado e o gabinete do governador não tinham nenhum registro disso, embora o gabinete do governador tenha dito que ainda está procurando”.

Segundo o diretor interino do Museu do Estado de Louisiana, Steven Maklansky, a instituição não tem planos de iniciar uma investigação sobre a jornada bizarra da rocha desde a custódia do estado até a venda de garagem.

Assim, nunca saberemos como a rocha se perdeu nem quem, presumivelmente, tinha a mão leve e decidiu levá-la para si. “Como você pode perceber, estou feliz que esteja aqui agora”, disse Maklansky à Associated Press. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!