Na última semana, o Governo Federal, em celebração aos 1´.000 dias de mandato do presidente Jair Bolsonaro, realizou uma série de eventos pelo país. Entre eles, a entrega das medalhas aos ganhadores das Olimpíadas Científicas do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e aos astrônomos amadores do programa Caça-asteroides.

“Esta semana tive orgulho de entregar medalhas de Honra ao Mérito MCTI aos medalhistas de ouro das Olimpíadas Cientificas MCTI, em Alcantara/MA, Manaus/AM e Belo Horizonte/MG”, escreveu o ministro Marcos Pontes em sua página no Instagram.

publicidade

No vídeo postado por Pontes, quem recebe sua medalha e o certificado de mérito, no evento de Belo Horizonte (MG), realizado no último dia 30, é a astrônoma amadora Lorrane Olivlet.

Ela já já detectou um total de 26 asteroides pelo programa International Astronomical Search Collaboration (IASC – Programa de Colaboração de Pesquisa Astronômica Internacional, em tradução livre), projeto da Nasa que, no Brasil, acontece em parceria com o MCTI. (No vídeo compartilhado pelo ministro, constam 23, no entanto, segundo Lorrane, houve uma recontagem que atualizou os números).

Leia mais:

Lorrane Olivlet é uma das maiores caçadoras de asteroides do país

Além do ministro, a coordenadora do projeto Caça-asteroides no Brasil, Silvana Copceski, também esteve presente nas entregas das homenagens.

“Hoje foi o dia mais legal da minha vida”, declarou Lorrane em uma postagem no Instagram. “Não tenho o hábito de participar de competições, mas a caçada aos asteroides foi algo que eu tive vontade de participar desde o início”.

Em entrevista ao Olhar Digital, Lorrane relatou que, além da medalha, também recebeu um certificado de mérito do MCTI. “Eu ganhei a medalha pela caçada aos asteroides. Atualmente, estou entre os brasileiros que detectaram o maior número deles. A medalha e o certificado foram em reconhecimento ao meu trabalho de incentivo à participação das pessoas no programa”.

Lorrane Olivlet, astrônoma amadora que detectou 26 asteroides, ao lado da coordenadora do projeto Caça-asteroides no Brasil, Silvana Copceski. Imagem: Arquivo pessoal

Lorrane é uma participante ativa do projeto IASC. “Eu ensinei algumas pessoas a caçar asteroides e desenvolvo um trabalho intenso de incentivo, porque eu acredito que essas oportunidades devem chegar a todos. Realmente, quero abrir portas para todo mundo que quiser e puder participar”.

Geovandro Hércules de Souza Nobre, químico industrial, professor de Química e fundador do Observatório Astronômico Rei do Universo (OARU), o primeiro observatório astronômico do Amazonas, também detectou asteroides pelo IASC. “Foram até agora nove asteroides preliminares detectados. Mas a campanha com o MCTI – IASC – NASA continua em outubro com grande chance de novas detecções”.

Geovandro Nobre recebeu sua medalha das mãos do ministro Marcos Pontes. Imagem: Captura de Tela YouTube MCTI

Ele recebeu seu certificado e sua medalha das mãos do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, no evento de Manaus, realizado na última quarta-feira (29), onde foram entregues cerca de 150 medalhas e certificados.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!