Nesta sexta-feira (8), a ONG Rio de Paz homenageou os quase 600 mil mortos pela Covid-19 no Brasil estendendo 600 lenços brancos em frente ao hotel Copacabana Palace, na praia mais famosa do Rio de Janeiro.

De acordo com a organização não governamental, a manifestação também é “um ato de repúdio ao modo como o Governo Federal e parte da sociedade vem tratando a pandemia desde o início da crise sanitária”.

publicidade

O consórcio dos veículos de imprensa, apontam que até está quinta-feira (7), 559.865 brasileiros perderam a vida para a Covid-19. A quinta-feira também marcou a data em que o Brasil registrou a média móvel de 438 óbitos, chegando a uma queda de -22% em comparação a duas semanas atrás.

Ao que os dados indicam, há uma tendência de queda depois de 22 dias em estabilidade, podendo ser possível até mesmo alta. Inclusive, é o menor índice registrado desde 13 de novembro de 2020.

Leia também!

Lenços serão mandados para CPI da Covid

Ao meio-dia desta sexta-feira (8), os lenços serão retirados da Praia de Copacabana e serão entregues ao taxista Márcio Antônio, que perdeu um filho para a Covid-19 e ganhou grande notoriedade na mídia ao ser visto recolando cruzes de um ato da ONG que haviam sido derrubadas por um homem contrário a manifestação.

O taxista Marco Antônio levará os lenços para CPI da Covid, em Brasília. Imagem: Reprodução/Redes Sociais

O taxista entregará os lenços ao senador Randolfe Rodrigues, vice-presidente da CPI da Covid, em Brasília no dia 19 deste mês, data que marca o encerramento Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga a ação do governo federal na tratativa da pandemia.

“Esses lenços serão entregues lá na CPI, ao senador Randolfe, com a esperança para consolidar o trabalho que eles fizeram para responsabilizar quem é o responsável por essas mortes. Cada lenço desse representa uma vida. Espero que a gente não precise voltar aqui para fazer novos atos”, afirmou Marco Antônio.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!