A rede de hospitais UCHealth, do estado americano do Colorado, está sendo bastante criticada por ter tomado a decisão de só fazer transplantes de órgãos em pessoas que já foram vacinadas contra a Covid-19. A decisão visa manter a segurança sanitária dos profissionais de saúde da instituição.

A principal voz contra a decisão da rede de hospitais é o deputado estadual republicano Tim Geitner. Segundo ele, uma mulher não vacinada o procurou para reclamar que havia sido informada de que não poderia realizar um transplante de rim, a menos que se vacinasse dentro de 30 dias ou menos.

publicidade

Evitar “desperdício”

Além da garantia da segurança sanitária de seus profissionais, a UCHealth também argumentou que os órgãos disponíveis para transplantes são bastante escassos. Neste cenário, a instituição diz querer que os transplantados sejam “pacientes com maior probabilidade de sobreviver”.

A argumentação usada pelo hospital para negar os transplantes para não vacinados é bastante controversa. Algumas pessoas defendem que uma instituição de saúde não poderia escolher quem recebe ou não determinados cuidados com base em uma pessoa ter tomado a vacina da Covid-19.

Possível Hoax

Apesar de a história ter se tornado bastante popular em grupos de ativistas antivacinas e de a rede de hospitais ter confirmado que, em outras palavras, pessoas não vacinadas não são prioridade para a realização de transplantes, tudo pode, no fim das contas, não passar de um boato.

O jornal The Washington Post tentou contato com o deputado Geitner para conversar com a mulher que teria tido o transplante negado, mas não conseguiu falar com a suposta denunciante. Contudo, em geral, é normal que candidatos a transplantes tenham que cumprir uma lista bem longa de condições.

Nessa longa lista, não é incomum que constem várias vacinas, porém, como os imunizantes contra a Covid-19 são novos e existe uma grande carga político-ideológica acerca dela nos Estados Unidos, certamente haverá algum tipo de polêmica nascendo em casos assim.

Transplantados são grupo de risco

Cinco pessoas entram na fila para transplante de fígado e outras três morrem após usar o kit Covid
Pessoas com rins transplantados são consideradas um grupo de risco para casos graves e mortes por Covid-19. Créditos: plo/Shutterstocl

De acordo com o porta-voz da UCHealth, Dan Weaver, a Covid-19 pode ser particularmente mortal para receptores de transplantes de rim. Segundo ele, a taxa de mortalidade é de 20% a 30% em pessoas nessas condições, contra 2,08% na população geral.

“Um transplante de órgão é uma cirurgia única que leva a uma vida inteira de tratamento especializado para garantir que um órgão não seja rejeitado”, disse Weaver. “Isso pode levar a complicações sérias, à necessidade de uma cirurgia de transplante subsequente ou até mesmo à morte”, completou ele.

Leia mais:

Por isso, o porta-voz defende que médicos precisam considerar os riscos de saúde dos candidatos a transplantes no que envolve curto, médio e longo prazo. “Visamos evitar que órgãos preciosos para transplante sejam desperdiçados”, completa o representante.

Via: Futurism

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!