Um jornal estatal na China chamou a atenção para as brechas nas restrições recentemente introduzidas pelo governo para games online e pediu prontamente restrições mais severas. Em agosto de 2021, a nação asiática introduziu novas regras para menores de 18 anos, limitando a quantidade de tempo que podem gastar em videogames a três horas por semana, uma medida “necessária para combater o vício em jogos”.

A decisão que fez com que os jovens jogadores chineses expressassem indignação com as regras e achassem meios “ilegais” para continuar a jogatina. A Reuters cita um artigo do People’s Daily, jornal oficial do Partido Comunista chinês, que “identifica métodos” pelos quais crianças e menores de 18 anos ainda podem jogar online fora do horário previsto, alegando que deve ser prontamente interrompido para “prevenir o vício”.

publicidade

“Em algumas plataformas de negociação online, há aluguel de contas de jogos e negócios de vendas, os usuários podem contornar a supervisão alugando e comprando contas e jogando jogos online sem restrições”, relata o jornal. “Isso significa que ainda há brechas para os adolescentes entrarem nos jogos online, o que é digno de atenção”.

china videogames
Mídia estatal chinesa comparou videogames a vício em drogas. Imagem: Fotos Públicas

O artigo também incentivou famílias e escolas chinesas a ajudarem “a fazer cumprir as novas restrições”, observando que alguns menores usam as contas ou informações dos pais e responsáveis para registrar novos logins, uma vez que os adultos não são afetados pelas medidas. O jornal ainda avisa às desenvolvedoras, publishers e empresas do ramo para “cumprirem ativamente as responsabilidades sociais” e “serem responsáveis pelo crescimento saudável da próxima geração”.

China x Videogames: entenda o caso

Autoridades na China, atualmente o maior mercado de videogames do mundo, há anos se preocupam com o vício em jogos e com a internet entre os jovens e menores de idade em geral, criando inclusive clínicas que combinam exercícios terapêuticos e militares para aqueles com os chamados “transtornos de games“.

Leia mais:

Em agosto, o governo introduziu limites de tempo para jogadores menores de 18 anos, permitindo-lhes apenas três horas por semana – entre 20h e 21h às sextas, sábados, domingos e feriados). Também foram introduzidos tetos de gastos, limitados a cerca de US$ 30 por mês o valor gasto com games para crianças de 8 a 15 anos, e cerca de US$ 60 para jovens de 16 a 18 anos.

E mais: a china está até testando um site que permite às pessoas denunciar empresas que não cumprem as novas regras. Crianças menores de 16 anos também foram proibidas de transmitir ao vivo as jogatinas, e o governo está endurecendo ainda mais as restrições aos futuros lançamentos licenciados no país.

Fontes: gamesindustry.biz e Reuters

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!