Servidores aposentados e pensionistas do Tribunal Superior do Trabalho (TST) poderão utilizar o reconhecimento facial no momento de realizar a prova de vida. A alternativa será utilizada para evitar o comparecimento presencial em agências bancárias.

O procedimento pode ser realizado por meio do aplicativo GOV.BR (Android | iOS) e é necessário possuir a biometria cadastrada no Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), ou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

publicidade

De acordo com a ministra Maria Cristina Peduzzi, presidente do TST, o tribunal é o primeiro órgão do Judiciário a utilizar essa tecnologia com essa finalidade. “É um serviço que melhora o atendimento aos servidores inativos e aos pensionistas, pois permite que todo o processo seja executado de forma remota, segura e célere”, completa.

Fachada do prédio sede do Tribunal Superior do Trabalho
Aposentados e pensionistas do TST poderão usar reconhecimento facial para prova de vida. Imagem: Rafastockbr/Shutterstock

O reconhecimento facial já está sendo utilizado pelo INSS, pelas Forças Armadas e pelos servidores aposentados e pensionistas da Administração Pública Federal.

“A digitalização do serviço permite melhorias no atendimento aos beneficiários com maior agilidade, comodidade e segurança, tendo em vista, especialmente, os cuidados em saúde com esse público”, explicou o secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Caio Mário Paes de Andrade.

Leia também!

Andrade apontou que o aplicativo GOV.BR veio para simplificar e modernizar a relação entre a população brasileira e a administração pública.

Além da prova de vida, o reconhecimento facial também será utilizado para o recadastramento mais acessível aos aposentados e pensionistas do TST. Os servidores que estão inativos devem realizar a atualização cadastral até 30 de outubro.

Créditos da imagem de destaque: Metamorworks/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!