O Facebook e a Baita, aceleradora sediada no Parque Tecnológico da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), prorrogaram as inscrições para a edição 2021 do Campo Digital, programa online e gratuito criado com o objetivo de acelerar startups com foco no agronegócio brasileiro.

O principal público-alvo da iniciativa são negócios que tenham como foco o desenvolvimento de soluções digitais voltadas aos pequenos e médios produtores, que tragam eficiência, produtividade e/ou sustentabilidade ao campo.

publicidade

As startups interessadas poderão se inscrever pelo site baita.ac/campodigital até a próxima sexta-feira, 29 de outubro, com o anúncio das finalistas previsto para novembro.

Ao todo, serão oferecidas 10 vagas para startups que já estejam, no mínimo, em estágio operacional – ou seja, validando sua solução e efetuando suas primeiras vendas. 

Imagem mostra uma mão feminina segurando uma superfície reta, em cima dessa superfície está uma lâmpada acessa, representando uma ideia de inovação
Programa de aceleração tem como foco startups voltadas ao agronegócio; inscrições vão até 29 de outubro. Crédito: PopTika/Shutterstock

O Campo Digital 2021 oferecerá às startups acesso ao programa de aceleração da Baita, com participação da equipe da aceleradora, profissionais do Facebook e mentores especializados em agronegócios pelo período de quatro meses. O final do programa está previsto para abril de 2022.

Mentoria de negócios e créditos

Os pequenos e médios produtores rurais desempenham papel importe no abastecimento das famílias brasileiras e na geração de empregos no campo, responsáveis por quase 70% dos alimentos consumidos no Brasil, segundo dados do Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Além disso, esses produtores também respondem por quase sete de cada dez empregos no setor agropecuário.

Leia também!

Durante o programa, as selecionadas terão ajuda na definição de metas e avaliação do modelo de negócio, palestras, workshops e networking com hubs, cooperativas e empresas do setor do agronegócio.

Ao final, as startups apresentarão seus projetos e, junto com a Baita, definirão os próximos passos para oferecerem suas soluções de forma independente. 

Alguns dos parceiros do programa que acompanharão e darão suporte às startups inclui a Esalqtec, incubadora tecnológica que atua junto à Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiróz/Universidade de São Paulo (ESALQ/USP), reconhecida nacionalmente como celeiro de startups agro.

Além disso, a iniciativa também conta com a parceria da Agência Inova da Unicamp; da Embrapa Informática Agropecuária; e do Instituto de Pesquisas Eldorado, que aportam conhecimento em tecnologias digitais para o agronegócio.

Os empreendedores contarão, ainda, com mentorias de investimento com nomes como SP Ventures, Yield Lab e Agroven, e com a possibilidade de troca de experiências com empresas que já lidam com desafios do dia a dia do pequeno e médio agricultor, como Agrofy, Agrosmart, Busca Terra, Orbia, entre outras.

Crédito da imagem principal: Andrii Yalanskyi/Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!