Novas evidências arqueológicas revelaram informações que permitiram os cientistas refinar a linha do tempo sobre a presença dos Vikings na América do Norte. Muito antes do próprio Cristóvão Colombo atravessar o Oceano Atlântico, oito edifícios de madeira cobertos de grama foram construídos em uma área acima de um pântano no extremo norte da ilha canadense de Newfoundland.

Os indícios revelam que os Vikings chegaram ao chamado ‘Novo Mundo’ primeiro. Na quarta-feira (20), os cientistas explicaram que uma nova técnica de datação usou uma tempestade solar antiga como ponto de referência e demonstrou que o assentamento foi ocupado em 1021 d.C., exatamente um milênio atrás e 471 anos antes da primeira viagem de Colombo.

publicidade

Para isso, a técnica foi empregada em três pedaços de madeira cortados para as contruções, e os dados apontam para o mesmo ano. Sendo assim, a viagem dos Vikings representa vários marcos para a humanidade e a descoberta refaz o que se conhecia sobre a travessia transatlântica na época.

As evidências assinalam o local onde o globo foi circundado por humanos, já que milhares de anos antes nossos ancestrais haviam atravessado para a América do Norte através de uma ponte de terra que ligou a Sibéria ao Alasca.

Leia mais:

“Deveríamos parabenizar estes norte-europeus por serem a primeira sociedade humana a atravessar o Atlântico”, comentou o geocientista Michael Dee da Universidade de Groningen, na Holanda, que liderou o estudo publicado no site científico Nature.

Os Vikings também são chamados de povo nórdico e eram navegantes que habitavam lugares como Noruega, Suécia e Dinamarca. Eles se aventuraram pela Europa, colonizando, fazendo comércio ou invadindo regiões.

Eles eram reconhecidos por suas habilidades de construção de barcos e navegação, e estabeleceram construções na Islândia e na Groenlândia. A era dos Vikings é definida entre 793 e 1066 d.C., o que dá possibilidade de situar a travessia do Oceano Atlântico.

Segundo Dee, “muitos arqueólogos acreditam que a principal motivação para eles procurarem estes territórios novos era descobrir novas fontes de madeira, em particular. É uma crença generalizada que eles partiram da Groenlândia, onde a madeira adequada para construção é extremamente rara.”

Porém, a datação convencional por radiocarbono não foi precisa o suficiente para definir a idade de L’Anse aux Meadows – sítio arqueológico no norte da ilha de Terra Nova, no Canadá – embora se acredite que apontasse para o século 11. Daí a importância do novo método.

Fonte: Science Alert