Em abril, o Twitter disse que estava investindo em um novo esforço para estudar o algoritmo em sua plataforma e se isso contribuí para “danos não intencionais”. A empresa prometeu estudar as tendências políticas de suas recomendações de conteúdo e agora, foi publicado as suas descobertas iniciais.

Segundo a equipe de pesquisa do Twitter, o algoritmo de linha do tempo da empresa amplifica o conteúdo da “direita política” em seis dos sete países estudados.

publicidade

A pesquisa analisou duas questões: se a linha do tempo algorítmica ampliava o conteúdo político das autoridades eleitas e se alguns grupos políticos recebiam uma quantidade maior de amplificação. A equipe usou tuítes de veículos de notícias e autoridades eleitas em sete países – Canadá, França, Alemanha, Japão, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos – para conduzir a análise, que eles disseram ser a primeira para o Twitter.

“Tuítes sobre conteúdo político de funcionários eleitos, independentemente do partido ou se o partido está no poder, vêem uma amplificação algorítmica quando comparados ao conteúdo político na linha do tempo cronológica reversa”, explicou Rumman Chowdhury sobre a pesquisa. 

“Em 6 de 7 países, os tuítes postados por funcionários eleitos da direita política são mais amplificados por algoritmos do que pela esquerda política. Os meios de comunicação de tendência de direita (definidos por terceiros), vêem uma amplificação maior em comparação com a de tendência de esquerda”, disse.

Créditos: Shutterstock

Por mais que haja o protocolo, ainda não está claro o motivo de isso estar acontecendo. Nas análises, os pesquisadores falaram que a diferença na amplificação pode ser resultado de partidos políticos que buscam “estratégias diferentes no Twitter”. Só que a equipe disse que mais pesquisas seriam necessárias para entender completamente a causa.

Além disso, Chowdhury observou que “a amplificação algorítmica não é problemática por padrão”. Os pesquisadores ainda apontam que suas descobertas “não apoiam a hipótese de que a personalização algorítmica amplifica ideologias extremas mais do que as vozes políticas tradicionais”.

Leia também:

Tudo isso acaba desmascarando ainda mais a visão de que o Twitter é tendencioso de um lado político. A pesquisa também oferece uma visão de como uma plataforma de tecnologia pode estudar os efeitos não intencionais de seus dados.

A pesquisa do Twitter é parte de um esforço mais amplo para descobrir os preconceitos e outras questões em seus algoritmos. Ademais, a empresa publicou os índices e procurou uma forma de recompensar as pessoas que encontrarem os problemas de preconceitos em sua plataforma.

Fonte: Engadget

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!