O Facebook anunciou na quarta-feira (13) que irá começar a remover todo “conteúdo severo de sexualização” voltado para figuras públicas em sua plataforma. De acordo com informações do tabloide The Verge, a mudança faz parte de uma atualização na política de intimidação e assédio on-line da rede social, que também inclui ataques coordenados contra qualquer usuário.

Ainda de acordo com o comunicado, serão removidos perfis, páginas, grupos ou eventos dedicados a sexualizar figuras públicas, incluindo políticos e criadores de conteúdo. As novas regras levam em consideração qualquer conteúdo degradante, como desenhos e fotos, que se refiram às funções corporais.

publicidade

“Figuras públicas – sejam eles políticos, jornalistas, celebridades ou criadores – usam o Facebook e o Instagram para interagir diretamente com seus seguidores. Estamos sempre tentando encontrar o equilíbrio certo entre protegê-los de abusos e permitir um diálogo aberto sobre eles em nossos aplicativos. Nossa política de intimidação e assédio diferencia entre figuras públicas e indivíduos privados para permitir a liberdade de expressão e o discurso público legítimo em torno daqueles que estão sob os olhos do público”, disse Antigone Davis, chefe global de segurança do Facebook, no blog da empresa.

Uma mulher segura um celular com o aplicativo do Facebook na tela
Facebook anuncia que vai proibir conteúdo de assédio sexual contra famosos. Imagem: Jirapong Manustrong/Shutterstock

Segundo nota, serão excluídos os seguintes conteúdos:

  • Conteúdo severo de sexualização
  • Perfis, páginas, grupos ou eventos dedicados a sexualizar a figura pública
  • Imagens e desenhos ‘photoshopados’ sexualizados e depreciativos
  • Ataques por meio de descrições físicas negativas que são marcadas, mencionadas ou postadas na conta da figura pública
  • Conteúdo degradante retratando indivíduos no processo de funções corporais

Além disso, a companhia afirma que, a partir de agora, irá oferecer “mais proteções para figuras públicas como jornalistas e defensores dos direitos humanos que se tornaram famosos involuntariamente ou por causa de seu trabalho.” As normas também cobrem “pessoas de comunidades sub-representadas, incluindo mulheres, pessoas de cor ou a comunidade LGBTQ.”

Mensagens diretas ou comentários em perfis pessoais ou postagens também serão considerados e removidos. No entanto, o Facebook irá exigir informações adicionais ou contexto para fazer cumprir esta nova política.

Leia mais!

Mudanças após denúncia grave

As mudanças ocorrem logo após um ex-funcionária do Facebook vazar informações documentadas de que a rede social permite a desinformação em alguns países como uma forma de economizar dinheiro. Além disso, os documentos também apontaram que o Instagram é prejudicial e tóxico para adolescentes.

A denúncia, que antes era anônima e foi divulgada pelo The Wall Street Journal, tomou grandes proporções após a denunciante revelar sua identidade em um famoso programa de TV americano. Com isso, outros ex-funcionários da empresa também se manifestaram dispostos a testemunhar contra a big tech.

Para entender mais sobre a denúncia contra o Facebook e por que ela é uma das mais graves clique aqui.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!