Um homem de 38 anos foi internado no Hospital Geral de Massachusetts, nos Estados Unidos, após sofrer uma série de convulsões e desorientação. O que ninguém esperava é que o quadro era causado pela presença de vermes, que estavam vivendo em seu cérebro há anos sem serem detectados.

O caso foi publicado na última semana no New England Journal of Medicine e diz que o paciente parecia ter uma saúde perfeita até cair no chão e começar a ter um ataque de convulsão. Após tratar o caso, os médicos repararam que ele ficava olhando involuntariamente para o teto, além de apresentar um comportamento incomum.

publicidade

Após notarem que a condição não era causada pelo uso de drogas nem medicamentos, a equipe médica chegou ao diagnóstico de cisticercose, uma infecção causada por tênia. Tênias são um tipo de verme presente na carne de vacas, porcos e peixes, que podem crescer no corpo humano e, em condições específicas, terem mais de 9 metros de comprimento.

Doença causada por vermes

A suspeita é que os animais entraram no corpo do homem duas décadas antes, quando ele viajou para uma região da Guatemala onde o verme é endêmico. A principal causa da doença é a ingestão de carne malcozida ou alimentos pouco higienizados.

De acordo com o Ministério da Saúde, a cisticercose é uma doença parasitária causada pela ingestão dos ovos da tênia. Os sintomas variam de acordo com o local em que os vermes estão alojados.

Leia também!

Caso a tênia esteja no cérebro, o quadro pode ser de neurocisticercose e os sintomas podem incluir dores de cabeça, convulsões e confusão mental. Em outras partes do corpo, pode causar inchaço na região, dor e inflamação.

Ainda segundo a pasta, a neurocisticercose é “tratada por meio de medicamentos prescritos por médicos, porém, medidas de saneamento básico, como serviços de esgoto e água potável, em conjunto com a educação das comunidades, são as formas mais eficientes de prevenir a doença”.

Em regiões da América do Sul, incluindo o Brasil, a cisticercose está presente. No entanto, devido a alta subnotificação de casos, é difícil medir o grau de incidência. A melhor maneira de prevenir a doença é higienizando os alimentos e cozinhando bem a carne antes de ingerir. O paciente nos EUA foi tratado.

Via Insider

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!