A Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora dos Estados Unidos, anunciou a aprovação de uma espécie de cirurgia não incisiva, feita com ondas sonoras, para tratar alguns sintomas avançados do Parkinson.

A autorização saiu após a agência analisar testes da Escola de Medicina da Universidade da Virgínia que mostraram o sucesso do tratamento. A cirurgia em questão, utiliza um aparelho de ultrassom focado para tratar problemas de mobilidade, rigidez e movimentos involuntários conhecidos como discinesias.

publicidade

Leia também!

A aprovação do novo tratamento foi considerada uma vitória, já que os tratamentos envolviam uso de medicamento que não surtiam efeitos em muitos pacientes, ou cirurgias cerebrais extremamente invasivas.

O uso do ultrassom não necessita de qualquer incisão no crânio, o aparelho concentra ondas sonoras dentro do cérebro para interromper os circuitos cerebrais defeituosos. Os médicos realizam o procedimento com o apoio de imagens de ressonância magnética para garantir que as alterações feitas reflitam em um bom resultado.

Mal de Parkinson
FDA aprova cirurgia de ondas sonoras para amenizar sintomas de Parkinson. Imagem: Jne Valokuvaus/Shutterstock

“Embora este procedimento não forneça uma cura para a doença de Parkinson, existe agora uma opção menos invasiva para pacientes que sofrem de discinesia induzida por medicamentos ou déficits motores graves”, disse o neurocirurgião Jeff Elias, responsável pelos testes com o novo aparelho.

“Esta aprovação da FDA para a palidotomia por ultrassom focalizado permite mais opções de tratamento se os medicamentos se tornarem ineficazes ou causar efeitos colaterais incapacitantes”, completou o médico.

Elias ainda afirmou que o procedimento ainda está em um estágio muito inicial, mas ressaltou que a experiência e avanços tecnológicos aumentarão ainda mais a segurança e eficácia do tratamento.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!