Dar risada de uma piada é uma sensações muito boa, por acalmar e descontrair a mente e o corpo. Um novo experimento conduzido com alunos da Brighton Girls School, localizada de Londres, revelou que forçar o riso traz o mesmo efeito do que rir naturalmente.

A ideia foi implantada com os alunos após aulas mais tensas, como matemática, ciências e história. Nos intervalos, os professores puxavam a reação batendo palmas e emitindo palavras com sons parecidos ao de uma risada, como ‘há há há’. Com isso, pediam para eles fingirem a risada.

publicidade

“O ato, mesmo forçado, faz o cérebro reagir liberando serotonina e endorfina, que são hormônios de prazer e bem-estar. É a mesma sensação do exercício e do sexo, por exemplo. Então nos fazem relaxar e sentir prazer. É uma mensagem cerebral que te leva a secreção  desses hormônios”, enfatizou Ana Cristina Belsito, chefe do serviço de Endocrinologia do Hospital São Vicente de Paulo.

Se de um lado a endorfina e a serotonina são os hormônios responsáveis pelo prazer, Belsito comentou que há uma diminuição do nível de cortisol, relacionado ao estresse, quando a pessoa está rindo. Ela pontuou que o nível de cortisol nas pessoas que riem mesmo forçado é realmente menor.   

Leia mais:

“Forçar o riso, além disso, trabalha a musculatura intestinal e gástrica, os músculos torácicos, abdominais e faciais”, explicou Belsito. De acordo com ela, é como se esses movimentos fizessem uma espécie de massagem no sistema gastrointestinal e facilitassem o processo digestivo.

Porém, a terapia do riso forçado não é para qualquer um, pois em alguns casos pode até aumentar o nível de stress. “Algumas pessoas não gostam muito de ser forçadas a rir, pois acham isso constrangedor ou desconfortável. Com elas, os níveis de cortisol podem aumentar, o que seria prejudicial”, complementou Sophie Scott, neurocientista da University College London.

Fonte: O Globo

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!