O ator britânico Michael Sheen agora não lucra mais com os seus trabalhos. Natural do País de Gales, ele afirmou que agora é um profissional “sem fins lucrativos”. Ativista, Sheen vai usar os lucros para financiar mais projetos.

“Havia algo bastante libertador em ir, tudo bem, vou colocar grandes somas de dinheiro nisso ou naquilo, porque vou conseguir ganhá-lo de volta. Essencialmente, me transformei em uma empresa social, um ator sem fins lucrativos”, disse o ator, em entrevista ao The Big Issue.

publicidade

Leia mais:

Michael Sheen já havia vendido suas casas, uma nos Estados Unidos e outra no Reino Unido, para a realização da Copa do Mundo dos Sem-Teto, em 2019, em Cardiff. Inicialmente, aquele projeto teria um financiamento de 2 milhões de libras, mas o valor acabou não chegando.

“Havia me comprometido a ajudar a organizar e, de repente, sem muito tempo para terminar, não havia dinheiro. Eu tive que tomar uma decisão – poderia desistir e não aconteceria. Pensei: não vou deixar isso acontecer. Então, coloquei todo o meu dinheiro. Tinha uma casa nos EUA, uma casa aqui, vendi e fiz o necessário. Foi assustador e extremamente estressante. Vou pagar por isso por muito tempo”, contou.

Michael Sheen (E) atua em ‘Good Omens’, ao lado de David Tennant (D). Imagem: Amazon Prime Video/Divulgação

Foi então que o galês percebeu que poderia continuar ganhando dinheiro, se manter e ainda ajudar projetos. Recentemente, ele prometeu um auxílio de 50 mil libras ao longo de cinco anos para financiar bolas para estudantes de seu país que vão para a Universidade de Oxford.

Michael Sheen conheceu também um projeto em sua cidade natal, Newport, que levava lazer, uma noite por semana, para crianças. Quando descobriu que não havia mais dinheiro para a continuidade da organização, ele notou que precisava fazer a diferença.

“Percebi que a diferença entre a vida daquela criança ser um pouco melhor ou não era, em última análise, uma pequena quantia de financiamento e eu queria ajudar essas pessoas. “Eu não queria apenas ser um patrono ou uma voz de apoio, eu queria realmente fazer mais do que isso. Foi quando pensei, preciso voltar e morar no País de Gales novamente”, completou.

Via: BBC

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!