Desde o ano passado, quando a Organização Marítima Internacional (IMO, na sigla em inglês) anunciou planos para diminuir em pelo menos 50% a emissão de gases-estufa até 2050, companhias de transporte oceânico vêm anunciando estratégias para uma adoção em larga escala de propulsão elétrica. Um dos projetos mais recentes e interessantes é o Roboship, um navio híbrido-elétrico desenhado pela Mitsubishi Shipbuilding, braço naval e aeroespacial da Mitsubishi.

Projetada para transportar futuramente uma média de 550 toneladas de biocombustível para a empresa de sustentabilidade Aioi Bioenergy, a embarcação terá um sistema híbrido em vez de motor a diesel convencional. De acordo com a Mitsubishi, a plataforma do navio Roboship abrange hardware para propulsão elétrica —hélices, motores, quadros de distribuição, baterias de armazenamento e geradores —, mais um software para controlar o equipamento de forma segura e eficiente.

publicidade

A plataforma digital será operada pela Marindows, uma criação da companhia japonesa E5 Labs. A empresa foi criada por quatro transportadoras com o objetivo de promover soluções de propulsão elétrica, bem como ferramentas de digitalização, para navios. Utilizando recursos avançados de comunicação, diz a Mitsubishi, a Marindows vai garantir que o navio híbrido-elétrico opere com segurança e eficiência.

Mitsubishi Roboship
Renderização do Roboship, futuro navio híbrido-elétrico da Mitsubishi (Mitsubishi/Divulgação)

Versatilidade energética

Uma das vantagens da Roboship é que seus geradores podem usar qualquer tipo de combustível ecológico, incluindo biocombustível, combustível sintético, amônia e hidrogênio. Isso deve ajudar, segundo a montadora japonesa, na redução de emissões de gases-estufa em velocidade de cruzeiro e na erradicação completa durante as operações portuárias, isto é, no atracamento do navio e no descarregamento de carga.

A tripulação do navio Roboship também deve se beneficiar do sistema de propulsão elétrica da Mitsubishi, graças ao menor nível de ruído e vibração.

Na construção, a montadora de Tóquio terá a ajuda da Honda, que entrará na empreitada através da Honda Heavy Industries, sua divisão para veículos pesados. O navio, cujos detalhes completos de motorização não foram divulgados, deve ser finalizado em abril de 2023.

Via Autoevolution

Imagem: Mitsubishi/Divulgação (o navio no detalhe principal é o Shin Nihonkai Ferry, projetado pela Mitsubishi para a empresa homônima)

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!