Um dos candidatos à presidência na Coreia do Sul, Lee Jae-myung, adotou uma estratégia um pouco diferente para arrecadar fundos de campanha e atrair a atenção dos eleitores mais jovens: apostar nos NFTs (tokens não fungíveis). 

A informação, divulgada esta semana pelo portal asiático Yonhap News, foi confirmada por Kim Nam-kook, um dos assessores do candidato. Para Kim, como o salto de interesse entre os jovens de 20 a 30 anos “em tecnologias emergentes” — que englobam criptomoedas, NFTs e o metaverso — essa nova categoria de arrecadação de fundos “pode ser atraente”.

publicidade

Lee reforça que é hora de aproveitar a oportunidade para iniciar uma tendência de “experimentos inovadores” no campo dos NFTs, um nicho que movimentou mais de R$ 130 bilhões em 2021, além de aprimorar e “mudar as percepções” do público sobre as moedas digitais.

Leia mais:

Para tirar a ideia do papel, o partido do candidato (Partido Democrata), vai emitir uma coleção composta por imagens de Lee e fotos que remetem às suas promessas eleitorais. Quem estiver disposto a contribuir com a campanha poderá adquirir os tokens. Por lá, a eleição para presidente está marcada para o dia 9 de março.

Coreis do Sul quer regular o mercado de ativos digitais

Vale destacar que o mercado de criptoativos está na mira dos reguladores do país asiático já há algum tempo. Em março de 2021, para endurecer o combate à lavagem de dinheiro, a Coreia do Sul introduziu novas regras para as empresas que negociam criptomoedas. Se descumpridas, além de multas, o novo regulamento prevê pena de até cinco anos de prisão. 

Curiosamente, segundo o portal de notícias coreano, o órgão regulador de finanças da Coreia do Sul também indica que pretende tributar os NFTs em breve. 

Fonte: Yonhap News

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!