Mantendo a tendência observada no fim do ano passado, o bitcoin começou 2022 com queda diária de 1,74% segundo o CoinMarketCap. O mês de dezembro foi tão ruim que marcou a pior cotação da criptomoeda desde 2018, período em que o criptoativo chegou a perder 3/4 do seu valor.

Ainda assim, com uma rede avaliada em mais de US$ 880 bilhões, o bitcoin conseguiu registrar uma valorização anual na casa dos 60% por conta dos bons resultados vistos ao longo de 2021 — ano em que o ativo bateu recordes de cotação.

publicidade

O mais notável é que algumas gigantes da tecnologia conseguiram superar o desempenho da criptomoeda. Foi o caso da Alphabet, Nvidia e Tesla.

Ações da Alphabet, Nvidia e Tesla valorizaram mais que o bitcoin em 2021
Resultado anual do bitcoin foi superado pela valorização dos papéis da Alphabet, Nvidia e Tesla. Imagem: Volodymyr_Shtun/Shutterstock

A dona do Google, avaliada atualmente em cerca de US$ 2 trilhões, viu os seus papéis valorizarem 68% no acumulado anual (quase 10% acima do bitcoin), segundo os dados da plataforma Google Finance. Um feito alcançado, dentre outros, devido ao aumento de receita aplicada em sua divisão de anúncios.

Quem também fechou 2021 com saldo positivo na bolsa foi a Nvidia. As ações da gigante do setor de chips gráficos e produtos voltados para mineração saltaram 125% no ano passado. Um dos fatores que ajudou a impulsionar os papéis da empresa foi o avanço do problema global na cadeia de suprimentos de eletrônicos, o que fez a demanda (e o preço final) dos seus produtos aumentarem. Com isso, a capitalização da empresa já ultrapassa US$ 750 bilhões.

A Tesla, comandada pelo bilionário (e defensor do dogecoin) Elon Musk, foi outra empresa cujas ações valorizaram mais que o bitcoin nos últimos 12 meses. Os papéis da montadora de carros elétricos — que comprou US$ 1,5 bilhão em bitcoins no início de 2021valorizaram 64% no acumulado anual.

Leia mais:

Vale ressaltar que outras empresas estiveram perto de deixar a criptomoeda mais popular do mercado para trás. Os papéis da Microsoft, por exemplo, valorizaram 54% no ano passado, enquanto os da Apple registraram ganhos de 41%. 

No fim, ainda que investir em criptomoedas e ações sejam tipos completamente diferentes de ativos, é ao menos interessante notar essas diferenças. Vale destacar que o cenário certamente irá mudar nos próximos meses em virtude da volatilidade constante do bitcoin.

Via: Decrypt

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!