A Riot Games está processando a desenvolvedora Imba Technology por copiar League of Legends no jogo I Am Hero: AFK Tactical Teamfight.

A queixa foi apresentada na última semana, no Tribunal Distrital dos EUA para o Distrito Central da Califórnia, de acordo com a Reuters.

publicidade

O processo afirma que devido ao sucesso de League of Legends, “desenvolvedores de jogos mobile de orçamento baixo tentaram alavancar essa popularidade e boa vontade apresentando versões imitadas de campeões de LoL em seus próprios jogos”. E I Am Hero: AFK Tactical Teamfight, jogo para iOS e Android da Imba seria uma dessas imitações, de acordo com o processo.

A Riot ainda afirma que o próprio nome do jogo é uma referência direta ao spin-off de League of Legends, Teamfight Tactics, e que os heróis apresentados foram “deliberadamente projetados para serem substancial e confusamente similares aos campeões de LoL.”

Isso fica mais claro ao vermos alguns dos heróis do jogo da Imba comparados aos campeões da Riot. Um dos exemplos dados no processo é o personagem Teemo de LoL e o personagem Tomee de I Am Hero. Além do nome fazer referência ao personagem de LoL, as histórias dos dois são iguais, quase sem mudar nem uma palavra sequer.

À esquerda, o perfil de Teemo, personagem de League of Legends. À direita, Tomee, de I Am Hero. Imagem: Games Industry

As reclamações da Riot são com mais de um personagem, com similaridades sendo mencionadas entre os personagens Heimerdinger de LoL e Dinger de I Am Hero, Nautilus e Tidus, Viktor e Victor, Vi e Vy, Zac e Zak, entre outros.

Leia mais!

Fora o nome do jogo e os personagens, o processo ainda reclama de plágio no gameplay e nas habilidades dos personagens, que também teriam sido tirados de League of Legends, e inclusive aponta reviews da loja de aplicativos Google Play, com jogadores reclamando sobre o plágio em questão.

A Riot busca indenização por violação de direitos autorais e ainda explica que enviou uma carta de Cessar e Desistir (conhecida como C&D) à Imba em dezembro de 2021, mas a desenvolvedora teria respondido admitindo que “alguns dos conteúdos de seu jogo eram substancialmente semelhantes ao de LoL, mas negando que havia se envolvido em violação de direitos autorais”.

Além da indenização, a Riot pede que I Am Hero pare de ser disponibilizado.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!