A SpaceX está levando a sério a ideia de superar o ano passado, planejando 52 lançamentos de foguetes para 2022, de acordo com um manifesto da empresa exibido durante painel de segurança da agência espacial norte-americana (NASA). Se ela vai conseguir isso ou não, só o tempo vai dizer, mas o número é quase o dobro do volume exibido pela empresa de Elon Musk em 2021 – um total de 31 lançamentos.

Para este ano, contudo, a SpaceX pode contar com maiores possibilidades de voo para esses 52 lançamentos: a estreia da nave orbital Starship, de seu foguete propulsor Super Heavy e a segunda geração de satélites da plataforma de internet Starlink estão agendadas para este primeiro semestre. Isso, fora a continuidade das suas missões de carga/tripulação para a Estação Espacial Internacional (ISS), por meio das naves Crew Dragon.

publicidade

Leia também

Com estreia da Starship prevista para abril deste ano, SpaceX espera chegar à marca de 52 lançamentos em 2022
Com estreia da Starship prevista para abril deste ano, SpaceX espera chegar à marca de 52 lançamentos em 2022 (Imagem: NASASpaceFlight.com/Reprodução)

“Temos esse manifesto da SpaceX, contabilizando 52 lançamentos ao longo deste ano. E esse é um ritmo incrível”, disse Sandy Magnus, ex-astronauta da NASA e membro do Aerospace Safety Advisory Panel (ASAP).

A NASA, no entanto, pede cautela com objetivos que coloquem seus parceiros tão “à prova” assim, até mesmo porque ela própria terá que coordenar isso com eles: a agência e a SpaceX são contratualmente próximas em várias empreitadas, e querendo ou não, garantir que tudo isso esteja dentro dos protocolos de segurança e aviação aeroespacial vai exigir um esforço imenso.

A grosso modo, se a SpaceX trabalhar mais, a NASA também será obrigada a aumentar o seu próprio volume.

“A NASA e a SpaceX terão que ser cuidadosas ao longo de 2022, a fim de que elas não se tornem vítimas do próprio sucesso”, disse Magnus.

Claro, a SpaceX também tem diversos clientes fora dos interesses da agência espacial norte-americana: constantemente, vê-se um foguete Falcon 9 alçado aos céus, levando satélites, experimentos científicos e, em alguns casos, até pessoas. Considerando como esse modelo de negócios é relativamente barato (especulações indicam que um “espaço” dentro de um Falcon 9 para a sua carga custa em torno de US$ 1 milhão, muitas vezes menos do que desenvolver seu próprio método de lançamento), a tendência é que essa parte do trabalho da empresa de Elon Musk cresça.

Vale lembrar também que a SpaceX (ou melhor, o CEO, Elon Musk) tende a exagerar seus objetivos, então “52 lançamentos” pode não necessariamente ser algo concreto. Em 2021, o bilionário chegou a afirmar que a empresa faria 48 lançamentos, mas chegou apenas a 31.

Em 2022, a SpaceX já realizou três lançamentos, todos bem sucedidos. Muitos outros já estão agendados, mas todo calendário é passível de mudança. Então não é possível afirmar, neste momento, se a empresa está bem encaminhada em seu objetivo.

A SpaceX não comentou as informações.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!