2022 é um ano bem atípico pelo fato de reunir uma Copa do Mundo e Eleições presidenciais, onde também serão escolhidos governadores, senadores, deputados federais e estaduais. Para dar conta do trabalho em todos os municípios, a Justiça Eleitoral recebe o auxílio de milhões de voluntários que atuam como mesários. Trabalho essencial na organização da votação, imprescindível no atual cenário de pandemia. 

Quem pode ser mesário? 

Podem ser mesários os eleitores que têm mais de 18 anos e estão em situação regular com a Justiça Eleitoral. Muitas vezes, é enviada uma convocação ou o cidadão pode se candidatar voluntariamente em seu estado. 

publicidade

Basta clicar aqui e fazer a inscrição online por meio do número do título de eleitor. Após preencher o formulário, o procedimento estará completo.  

urnas eletrônicas
Assim como as urnas eletrônicas passam por vários testes antes das eleições, os mesários também recebem treinamentos para garantirem o sucesso da organização dos eleitores no dia do pleito. Imagem: Divulgação TSE

Quem não pode ser mesário? 

Existem algumas restrições que impedem determinadas pessoas de trabalharem como mesários. São elas:  

  • Quem se candidata ou seus parentes, ainda que por afinidade, até o segundo grau, inclusive cônjuge;
  • Membros de diretórios de partidos políticos, caso exerçam função executiva;
  • Autoridades e agentes policiais que exercem cargos de confiança do Poder Executivo;
  • Quem trabalha na Justiça Eleitoral. 

Existe algum tipo de treinamento? 

Quem se torna mesário passa por treinamentos sob responsabilidade da Justiça Eleitoral, com foco na garantia do sucesso da eleição, seja para aprender como recepcionar os eleitores como também fazer a correta condução até as seções eleitorais. 

Uma carta de convocação é enviada com todas as informações sobre a modalidade do treinamento, podendo ser presencial ou à distância por meio do aplicativo Mesário.  

Leia mais:

Mesário recebe salário? 

Quem atua como mesário faz um trabalho voluntário em prol do sistema democrático brasileiro, ou seja, não recebe salário. 

No entanto, a Justiça Eleitoral destina uma ajuda de R$ 35 para auxílio alimentação por pessoa no dia da eleição. 

Além disso, quem atua na função tem direito a dois dias de folga para cada dia que passar nos treinamentos oferecidos pela Justiça Eleitoral ou trabalhando no dia da votação. 

As folgas devem ser negociadas com a empresa, o órgão ou a instituição pela qual o colaborador tenha vínculo na época da prestação do trabalho.

Outro benefício é destinado ao mesário universitário, que terá direito a 30 horas de crédito na grade extracurricular (desde que a instituição tenha convênio com o Tribunal Eleitoral do estado). 

Além disso, o mesário recebe um certificado pelos serviços prestados e tem preferência no desempate em concursos públicos, desde que previsto no edital do certame.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!