Elon Musk, CEO da SpaceX, está cumprindo sua promessa pública de enviar terminais do serviço de internet via satélite da empresa, a Starlink, para a Ucrânia. Desde que a Rússia declarou guerra contra o país governado por Volodymyr Zelensky, os serviços de internet têm sofrido significativas interrupções.

Apenas dois dias depois de Musk se comprometer no Twitter com o ministro da Transformação Digital e vice-primeiro ministro da Ucrânia, Mykhailo Fedorov, os primeiros lotes de terminais começaram já a chegar.

publicidade
Mykhailo Fedorov, ministro da Transformação Digital e vice-primeiro ministro da Ucrânia, solicitou a Elon Musk, via Twitter, ajuda em relação aos serviços de internet no país em meio à invasão da Rússia. Imagem: Real_life_Studio / Shutterstock

Na segunda-feira (28), Fedorov revelou a novidade em sua página no Twitter, compartilhando uma foto de um caminhão contendo os equipamentos. “Starlink – aqui. Obrigado, Elon Musk”.

Não só a tecnologia chegou à Ucrânia, como já há relatos de que ela está funcionando. “Sucesso! SpaceX Starlink está funcionando em Kyiv, Ucrânia!”, postou o usuário Oleg Kutkov. De acordo com o post de Kutkov, eles foram conectados com velocidades de download de 136,76 Mbps e de upload de 23,93 Mbps.

Kyiv, uma cidade de 2,8 milhões de pessoas e capital da Ucrânia, é uma das várias áreas do país onde foram relatados ataques russos. Por dias, Kyiv foi bombardeada por mísseis, segundo o New York Times.

Compartilhando o tweet de Kutkov, o astrofísico e rastreador de satélites Jonathan McDowell parabenizou a iniciativa da SpaceX. 

O serviço de internet da SpaceX foi projetado para fornecer acesso à internet em banda larga a áreas remotas ao redor do mundo onde as formas tradicionais de conexão, como cabos e fibra óptica, não estão disponíveis. Isso é possível graças à megaconstelação de satélites Starlink, que a SpaceX mantém em órbita baixa da Terra. 

Até o momento, a SpaceX lançou mais de 2 mil desses satélites, e muitos outros já estão programados para subir, já que a empresa tem permissão para 12 mil espaçonaves de banda larga e solicitou aprovação para lançar até outras 30 mil mais.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!