Nesta terça-feira (1), o governo japonês confirmou que um ciberataque foi o responsável pelos problemas registrados por um fornecedor local da Toyota e que fez com que a montadora a paralisasse as fábricas de produção no país. O porta-voz do governo do Japão, Hirokazu Matsuno, confirmou “um ciberataque” contra a fornecedora de peças Kojima Industries e declarou que a situação ainda está sendo investigada.

Além disso, ele alertou que “o risco de ciberataques cresce devido à situação atual, incluindo a Ucrânia“, e pediu às empresas que “fortaleçam as medidas de cibersegurança”. A empresa não sabe quando conseguirá restabelecer o sistema e retomar a produção.

publicidade

A Toyota afirmou na segunda-feira (28), que teria que suspender a produção em todas as 28 linhas de suas 14 fábricas japonesas hoje, por conta do ataque, que inclusive não foi exatamente à Toyota, mas à Kojima Industries, fornecedora da montadora.

A imprensa nipônica informou que o grupo Kojima Industries sofreu um ataque de “ransomware” e indicou que havia detectado uma “mensagem de ameaça” no sábado à noite, antes de descobrir que um servidor estava “infectado por um vírus”. A mensagem teve que ser publicada pela Toyota porque o servidor de Kojima ainda estava offline.

A empresa espera que tudo seja resolvido dentro de um ou dois dias, porém, a empresa não opera nesta terça-feira (1). O objetivo é retomar as operações na próxima quarta-feira (2) e mesmo com a paralisação por apenas dois dias, a Toyota deve atrasar a entrega de mais de 13.000 carros. Na Kojima, por sua vez, os ataques cibernéticos seguem sendo investigados, mas ainda não foi possível encontrar quem é o culpado pela invasão.

Leia mais:

Fonte: UOL

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!