A NASA lançou sua primeira estação espacial em 14 de maio de 1973: seu nome era Skylab e foi a segunda da história, atrás da soviética Salyut 1. Centenas, talvez milhares de experimentos foram realizados nela, recebendo nove astronautas durante os nove meses seguintes ao seu lançamento. Mas a vida do laboratório orbital foi agitada e seu desaparecimento um tanto quanto traumático.

Projetado por Raymond Loewy, o Skylab orbitou a Terra de 1973 a 1979. Tinha 35 metros de comprimento e pesava 90 toneladas. A missão Skylab 1, a decolagem da própria estação, não foi tripulada. Já a segunda missão levou os primeiros tripulantes do laboratório: Pete Conrad, Joseph Kerwin e Paul Weitz, no dia 25 de maio de 1973. Eles retornaram à Terra em 22 de junho daquele ano.

publicidade
Gerald P. Carr “levanta com o dedo” seu parceiro Edward Gibson (Histórico/Corbis via Getty Images)

Alan Bean, Owen Garriott e Jack Lousma compuseram a terceira missão, enviada em 28 de julho e retornada em 25 de setembro. A última missão, Skylab 4, foi a mais emblemática de todas, e não por um fato que gerou orgulho nem entre a NASA nem entre os astronautas.

O trauma da missão Skylab 4

Gerald Carr, Edward Gibson e William Pogue eram os três membros do Skylab 4. Eles chegaram ao laboratório espacial em 16 de novembro de 1973 e partiram em 8 de fevereiro de 1974, permanecendo 84 dias, mais do que os astronautas anteriores.

Os problemas começaram para o Skylab 4 quando Pogue ficou doente do estômago. Para “melhorar”, a recomendação de Carr foi que ele comesse uma lata de tomates, algo que piorou o quadro de Pogue.

“Eu ouço alguns ruídos estranhos vindos de Bill e um saco de vômito flutuando da direita para a esquerda”, disse Gibson, como lembrou em conversa com a BBC. “Ficamos chateados porque sabíamos que tínhamos muito trabalho a fazer e foi aí que cometemos nosso primeiro erro”.

Os membros da Missão Skylab 4: Comandante Gerald P. Carr; astronauta, cientista e piloto Edward G. Gibson; e piloto William R. Pogue.(HUM Images/HUM Images/Universal Images Group)

Os astronautas não informaram o Centro de Controle em Houston sobre a doença de seu companheiro. “Queríamos nos organizar antes que a grande confusão começasse na Terra, então decidimos adiar para que eles soubessem que Bill estava doente.” No entanto, a equipe de Houston ouviu tudo, e o lendário Alan Shepard, o primeiro americano no espaço e chefe do Escritório de Astronautas, os repreendeu.

A tripulação evidentemente tomou o caminho errado, levando à tensão entre os astronautas no Skylab e o Centro de Controle, algo que os levou a cometer o segundo erro: demorar para sintonizar a sessão informativa da manhã. Normalmente, todos os três estavam de prontidão, já que as comunicações na época caíram para dez minutos enquanto a Skylab passava pelas estações de controle de solo.

Leia mais:

Houve um descaso que os deixou sem comunicação por 90 minutos. De Houston, o pensamento era que os astronautas haviam feito um motim para não responder às exigências do Centro de Controle. “Na Terra, eles interpretaram isso como um ataque”, disse Gibson. “Mas não foi intencional, foi um erro nosso. A mídia criou esse mito que está flutuando desde então e nós tivemos que viver com isso. O que íamos fazer? Ameaçar viver na Lua?”, brinca o astronauta.

A NASA diria anos depois que houve uma confusão, mas o estrago já estava feito. Depois de um tenso encontro em que tudo foi dito na cara um do outro (a milhares de quilômetros de distância), as coisas foram ordenadas. A produtividade da equipe foi total, retornando à Terra em 8 de fevereiro de 1974.

Laboratório se desintegrou, mas por qual motivo?

Mas algo mais aconteceu. Não houve quinta missão, algo que foi interpretado como resultado do desconforto da NASA com o incidente. E, ainda por cima, a Skylab sofreu danos significativos no momento de seu lançamento em órbita.

O portal Uma Breve História observa que uma parte do foguete se deslocou 63 segundos após a decolagem, arrancando um dos dois painéis solares da estação e travando o outro. Embora tenha sido reparado, houve outras situações que impediram a melhoria do laboratório. A órbita do Skylab estava em declínio e esperava-se que ele caísse na Terra antes de 1980.

Em 11 de julho de 1979, o laboratório se desintegrou sobre o Oceano Índico, deixando fragmentos de metal a 6.000 quilômetros do Cabo da Boa Esperança até a Austrália.

De volta à Terra, os últimos três astronautas, Carr, Gibson e Pogue, foram acusados de ter sabotado o Skylab. Algo totalmente falso, pois todos permaneceram trabalhando com a NASA em diferentes situações. Pogue morreu em 2014 e Carr em 2020. Gibson continua vivo, aos 85 anos.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!