Uma jovem de 14 anos que precisou receber um transplante de fígado na última sexta-feira (20), após contrair a hepatite de causa desconhecida, foi extubada e já respira sem ajuda de aparelhos, diz nota divulgada pelo  Hospital Universitário Oswaldo Cruz de Recife, em Pernambuco.

O quadro da adolescente é considerado estável e o fígado transplantado funciona de forma adequada, diz a nota divulgada pelo hospital. A jovem natural de Ibimirim deu entrada Hospital Regional Arcoverde no começo de maio, com o agravamento da condição ela foi transferida de unidade. No momento, cinco casos da hepatite de causa desconhecida são investigados no estado.

publicidade

“A adolescente de 14 anos transplantada na última sexta-feira (20) encontra-se internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Universitário Oswaldo Cruz da Universidade de Pernambuco (HUOC/UPE). A paciente foi extubada (retirada da respiração mecânica). Apresenta quadro clínico estável. Está consciente. O fígado, assim como os demais órgãos, já funcionam adequadamente. Não tem infecção. Ainda está usando sonda gástrica, mas será retirada ainda nesta terça-feira (24) para iniciar a sua dieta alimentar. Ainda sem previsão de alta da UTI”, diz a nota divulgada pelo hospital.

Hepatite de causa desconhecida

Até o momento, ainda não se sabe o que está causando essa epidemia em crianças, mas uma pesquisa feita pelo Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças apontou o adenovírus 41 como um possível causador.  O Brasil investiga 64 casos suspeitos atualmente.

Segundo o estudo, o microrganismo foi identificado em 72% dos casos do Reino Unido, mais de 60% na Europa e em cerca de 50% nos Estados Unidos. A pesquisa aponta que “a etiologia (estudo da causa e da origem de um fenômeno) e os mecanismos patogenéticos da doença ainda estão sob investigação”, no entanto, uma associação entre o adenovírus 41 e a hepatite misteriosa foi encontrada.  

Em entrevista ao Olhar Digital, a médica gastroenterologista com especialidade em hepatologia e transplante hepático, Patrícia Almeida, explicou que a hepatite se trata da inflamação das células do fígado.  

Leia também!

A médica contou que o problema no órgão surge após algum tipo de agressão, que “pode ser viral, medicamentosa, alcoólica, gordurosa ou, até mesmo, autoimune”.  

“A hepatite pode ser aguda ou crônica, e causar danos ao fígado e, por vezes, complicações graves, como insuficiência aguda, cirrose, câncer e a necessidade de transplante hepático.” 

“Os casos recentemente relatados de hepatites na Europa parecem ter relação com o adenovírus replicante. Neste caso, a transmissão das cepas que acometem o trato gastrointestinal costuma ocorrer nos primeiros 4 anos de vida da criança, e a transmissão ocorre por contato fecal-oral, o que acontece quando não se lavam bem as mãos ou com a ingestão de alimentos ou água contaminados”, explicou Almeida.  

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!