“Isto é algo que eu certamente não estava à espera de atender numa chamada”, diz uma postagem no Facebook do programa Nick Evans – Resgate de cobras, uma organização pela conservação dos anfíbios e répteis de KwaZulu-Natal, província da África do Sul. Evans, fundador do projeto, estava se referindo a um achado raro: uma cobra de duas cabeças descoberta em Durban, a terceira maior cidade do país.

Cobra de duas cabeças é encontrada na África do Sul. Imagem: Nick Evans

Segundo ele, cobras de duas cabeças (chamadas de bicéfalas) eclodem tanto em cativeiro quanto na natureza, mas isso é muito raro. “É uma deformidade”, explicou o especialista.

De acordo com a revista Galileu, a bicefalia ocorre quando gêmeos monozigóticos não se separam durante a fase de desenvolvimento embrionário e, assim, acabam fundidos em um único corpo. 

Pertencente à subespécie Dasypeltis inornata, a cobra encontrada tem cerca de 30 cm de comprimento, o que sugere ser jovem, uma vez que adultos dessa variedade costumam chegar a 75 centímetros. Segundo a postagem de Evans, a espécie tem hábitos noturnos e não é considerada venenosa.

publicidade
A cobra de duas cabeças precisa adotar mecanismos próprios de locomoção e alimentação. Imagem: Nick Evans

Como cobras de duas cabeças se locomovem e se alimentam

Não se sabe ao certo a taxa de sobrevivência de animais que nascem com tal anomalia, mas não deve ser muito alta. “Se elas eclodiram meses ou semanas atrás e sobreviveram por tanto tempo, ficarei realmente surpreso”, disse o pesquisador, informando que a condição rara oferece dificuldades para o animal, que tem, por exemplo, uma maneira incomum de deslocamento. 

Como as cabeças se movem em direções opostas e de forma independente entre si, a cobra precisa adotar um mecanismo eficaz de locomoção. “Ela repousa uma cabeça sobre a outra. Esta parece a maneira mais inteligente para elas se moverem”.

Leia mais:

Evans diz estar curioso sobre o processo alimentar do animal, cuja espécie é vulgarmente conhecida como “cobra marrom comedora de ovos sul”. De acordo com o site IFLScience, esses animais engolem um ovo inteiro, inclusive a casca, que regurgita em seguida. 

“Estou intrigado por saber se ela pode se alimentar sozinha ou não. Essas cobras marrons só comem ovos, então deverão ser ovos pequenos de pássaros”, escreveu o pesquisador, que, ao fim da postagem, agradeceu aos cidadãos que encontraram o animal e o chamaram para o resgate.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!