Em novembro de 2021 a NASA lançou a Missão DART (sigla em inglês para “Teste de Redirecionamento de Asteroide Duplo”)  que basicamente tem como objetivo destruir um asteroide (ou mudar a rota dele, para ser mais preciso). A missão consiste em colidir um foguete com o corpo celeste (!) e testar a capacidade da Terra em reagir contra potenciais ameaças vindas do espaço.

Pode parecer coisa de filme de ficção científica, mas eventos como o de Tunguska já foram presenciados pela humanidade e a NASA está em alerta, segundo um painel realizado pela agência no último dia 28 de junho, dois dias antes do Dia Internacional do Asteróide ser celebrado. “A ameaça de asteroides é real”, disse a cientista da NASA, Elena Adams, que atua como engenheira de sistemas da missão DART.

NASA vai socar asteroide 

Adams descreveu a missão como: “nosso objetivo é bater em um asteroide”. O ex-astronauta Thomas Jones, presidente do Comitê da Associação de Exploradores Espaciais em Objetos Próximos à Terra, explicou no painel que o asteróide Dimorphos, que vai ser atingido pela missão, não está em rota de colisão com a Terra, mas vai servir para mostrar se somos capazes de nos defender contra potenciais ameaças.

Leia também

publicidade

“Temos a chance de impedir que uma catástrofe natural ocorra usando nossas habilidades cooperativas em todo o planeta”, explicou ele, pedindo ainda uma intensa colaboração de autoridades mundiais para defender a Terra contra asteroides.

A missão DART foi lançada em novembro de 2021. No entanto, vai levar um ano até que a nave colida com um asteróide. Caso isso seja comprovado a eficácia da estratégia, a Nasa então confirmará um método de defesa planetária contra asteroides errantes que porventura venham a ameaçar a vida na Terra.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!