Ao publicar o 20° relatório de transparência, os usuários do Twitter se preocupam quanto a continuar usando a rede social. No relatório consta os detalhes sobre abusos de informações pessoais que, por enquanto, não são animadores.

Entre julho e dezembro de 2021, os números de requerimentos de dados das contas do Twitter crescerem. Ao todo, foram 47.572 solicitações legais de 198.931 contas de usuários do aplicativo.

publicidade
twiter
Imagem: Fabio Principe – Shutterstock

Os veículos de comunicação enfrentaram muito mais pressão em relação às solicitações. O governo estava com uma alta em pedidos de dados do jornal e dos jornalistas certificados. Esses jornalistas foram responsáveis pelo aumento de 103% em relação ao último relatório do Twitter, com 349 contas constando nos votos. A empresa enxerga essas tentativas como ameaças em expansão contra os profissionais de comunicação e à liberdade de imprensa.

Leia mais:

A Índia foi responsável pela maior parte das solicitações direcionadas aos meios jornalísticos, que no total deu 114 vindos do país. Quem não fica muito atrás é a Turquia, que fez 78 pedidos e a Rússia, que fez 55. Unindo os governos no total, conseguiram impedir 17 tweets de usuários.

Anteriormente, os pedidos vindos dos Estados Unidos eram equivalentes a uma parte excessivamente maior do volume final, comparado aos outros países, e já chegaram a 20% em cima de 39% das contas específicas. Com 18%, a Rússia permanece no seu posto de segundo país a abrir requerimentos e dentro desses dezoito, ela caiu 20% durante 6 meses.

O Twitter falou que ainda está negociando ou limitando o acesso à informação que consegue e negou 31% das solicitações que os Estados Unidos fizeram, o que ajudou a reduzir 60% da média de todos os outros países. A empresa também foi contra 29 tentativas civis de reconhecer usuários anônimos dos EUA e usou a Primeira Emenda da lei estadunidense para sustentar seu argumento.

Porém, não tiveram muito êxito quando informaram aos usuários que as solicitações foram feitas e a empresa pretende ainda ganhar um recurso por lei para que possam divulgar mais detalhes sem serem barrados.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!