Luigi Crispo, um investidor do Twitter, entrou com um processo para impossibilitar que Elon Musk desista do acordo de compra da rede social no valor de US$ 44 bilhões.

Segundo a Bloomberg, a ação de Crispo incrimina Musk por quebra de contrato e quebra de dever fiduciário para com os acionistas da rede social. Além disso, o documento afirma que ele ofereceu “razões débeis para renegar seu contrato”. Duas “entidades de aquisição corporativa” ligadas ao negócio também são apontadas como rés.

publicidade

Leia mais:

O bilionário tentou se retirar de suas tentativas de comprar o Twitter, argumentando que a empresa adulterou o número de bots e contas falsas em sua plataforma, além de ter feito “representações falsas e enganosas”. 

O investidor concorda com as argumentações do Twitter de que Musk está mentindo sobre bots e spam para se afastar da negociação sem uma base legal válida para isso. Vale mencionar que tanto o Twitter, quanto Crispo estão procurando uma ordem judicial que obrigaria Elon Musk a concluir a compra.

Após ele voltar atrás, a empresa processou o bilionário, tentando assim fazer com que ele cumprisse com suas obrigações e comprasse a rede. Recentemente, Musk criou um contra-arquivamento, que permanece lacrado por enquanto. 

Um juiz deu ouvido ao pedido do Twitter de julgamento acelerado e está programado para começar em 17 de outubro e durar cinco dias. Seus acionistas votarão a aquisição no dia 13 de setembro.

Nesse ínterim, Crispo detém 5.500 ações no Twitter. Os papéis valem quase US$ 300 mil a US $ 54,20 por ação para a compra da empresa em abril. As ações valem atualmente US$ 223 mil, no preço atual das ações do Twitter, de US$ 40,55 no momento da redação.

Via: Engadget

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!