A maioria se espanta ao ler o título, certo? Isso porque por toda nossa vida fomos ensinados a comer de boca fechada, sendo sinônimo de bons modos, e usar os talheres da forma correta, algo relacionado à etiqueta – bem como aquilo de não poder colocar os cotovelos na mesa.  

No entanto, para Charles Spence, cientista da universidade de Oxford, uma das mais conceituadas do mundo, fomos ensinados da maneira errada e, na verdade, comer de boca aberta ou usar as mãos pode trazer benefícios importantes para a experiência da refeição. 

publicidade
alimentação bebê
Comer de boca aberta e usar as mãos ao invés de talheres é o certo, diz cientista. Imagem: shutterstock/Oksana Kuzmina

Conforme divulgado pelo O Globo, Spence, que é chefe do laboratório de Pesquisa Crossmodal da universidade, explica que os alimentos contêm compostos orgânicos voláteis, como ésteres, cetonas, terpenoides e aldeídos, que compõem os aromas e sabores característicos de um prato. Mastigar de boca aberta faz com que esses e outros compostos aromáticos cheguem à parte de trás do nariz, o que aumenta os cheiros e a nossa experiência de comer. 

“Os pais incutem boas maneiras em seus filhos, exaltando as virtudes de mastigar educadamente com a boca fechada. No entanto, mastigar de boca aberta pode realmente ajudar a liberar mais compostos orgânicos voláteis, contribuindo para o nosso olfato e a percepção geral”, disse o pesquisador ao jornal inglês The Telegraph. 

O professor destaca que o barulho que fazemos ao comer de boca aberta – e que incomoda tanta gente – é na verdade o gatilho do prazer em comer. A batata frita e a maçã, por exemplo, são dois alimentos tidos como os mais agradáveis quando o “som da trituração é amplificado”. 

Leia mais! 

“Para ouvir melhor o crocante de uma maçã, uma batata frita, um palito de cenoura, um biscoito, um pão crocante ou um punhado de pipoca, devemos sempre abandonar nossas maneiras e mastigar com a boca aberta”, afirma. 

Em relação ao uso das mãos – para a alegria das crianças e terror dos pais – o cientista diz que a ação é benéfica na mesma proporção de comer com a boca aberta, já que o tato também desempenha um papel importante na forma como apreciamos a comida

“Sentir a textura suave e orgânica da casca de uma maçã em nossa mão antes de mordê-la provavelmente contribuirá para uma maior apreciação do crocante suculento e doce da primeira mordida. Assim como a sensação de grãos de sal grudados nos dedos ao comer batatas fritas com as mãos. Nosso senso de toque também é vital em nossa percepção da comida no paladar.” 

E aí, vai aderir às novas práticas?

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!