Para muitos já não é novidade que noites mal dormidas interferem diretamente no projeto fitness. Para quem não sabia, apenas exercícios e dietas não são suficientes para o emagrecimento, sendo necessário um combo de hábitos saudáveis, o que inclui ter qualidade de sono. Mas, por quê? 

Segundo o Dr. Pedro Andrade, médico especialista em medicina de precisão, o sono e o emagrecimento estão diretamente interligados devido à produção de hormônios, como a leptina, grelina e serotonina. Hormônios que, quando em equilíbrio, favorecem o emagrecimento. 

publicidade
mulher dormindo
Sono e balança: quantas horas preciso dormir para turbinar o emagrecimento? Imagem: Shutterstock

Além disso, a privação do sono afeta a tomada de decisões, já que sua falta diminui a ação de dopamina no cérebro – região responsável pelas escolhas. A relação disso com o aumento do peso é a menor capacidade de escolher, por exemplo, alimentos mais saudáveis ao longo do dia. 

“Quando o paciente já tem uma rotina equilibrada de exercícios e alimentação, a melhora do sono vem como um complemento para que ele tenha mais saúde e bem-estar. E os efeitos deste estilo de vida podem resultar sim na balança. A perda de gordura acontece, nestes casos, como uma consequência desta combinação”, explica o médico.  

Quantas horas devo dormir para ter qualidade de sono? 

Na verdade, não existe um padrão ou protocolo que especifique a quantidade de horas de sono necessária para se ter qualidade de descanso a ponto de dar aquela ajudinha na balança. Contudo, a Academia Americana de Medicina do Sono recomenda de sete a nove horas dormidas por noite para se ter saúde e bem-estar durante o dia e ao longo da vida. 

Leia mais!  

Alimentação também interfere no sono 

Assim como o sono interfere no emagrecimento, a alimentação também afeta o sono. “Funciona como um ciclo, você se alimenta bem para dormir bem. E dorme bem para conseguir fazer escolhas mais saudáveis”, esclarece o Dr. Andrade. 

O especialista alerta para os alimentos não indicados para consumo noturno. Entre os que podem prejudicar sua noite de sono estão: proteínas de origem animal, cacau, café, chá verde e chocolate. Já no grupo daqueles que podem favorecer o descanso se destacam: banana, aveia, castanhas, abacate, espinafre e a semente de girassol.  

“Estes alimentos aumentam os níveis de triptofano e magnésio em nosso organismo, o que resulta em uma melhor qualidade do sono.” 

O médico cita ainda três hábitos que podem ajudar a melhorar a qualidade do seu sono, sendo eles;  

  1. Banho relaxante – aposte nas duchas mornas, apague as luzes do banheiro e adicione música.
  2. Alongamento – previna dores que possam surgir durante a noite, como a dor nas costas. Automassagem e bolsas de água morna também auxiliam no alívio da tensão muscular criada no dia a dia. 
  3. Leitura – nada de celular ou tablet, prefira o modo tradicional: livro físico na mão. A monotonia é importante nesta hora e ajuda a “convidar” o sono para a noite. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!