O telescópio James Webb continua fazendo registros impressionantes do espaço. Dessa vez, quem foi flagrada pelo poderoso equipamento da NASA foi a galáxia Messier 74, também conhecida como NGC 628, que teve informações divulgadas recentemente. Formando um espiral perfeito, o flagra da “galáxia fantasma” foi divulgado pela Agência Espacial Europeia (ESA) na manhã desta segunda-feira (29).

A imagem, na verdade, é um trabalho colaborativo entre o James Webb e seu primo mais velho, o Hubble. Também foi revelada uma imagem feita apenas com dados do Hubble. “A visão nítida do Webb revelou delicados filamentos de gás e poeira nos grandiosos braços espirais da M74, que se estendem para fora do centro da imagem”, explicou a ESA.

publicidade
Composição de dados do Webb e do Hubble mostra a M74. — Foto: ESA/Divulgação

A Messier 74, justamente por conta de sua formação “perfeita”, se tornou um grande alvo dos astrônomos que desejam entender como esse tipo de estrutura é criada. Com o poder do James Webb, esse objetivo hoje é cada vez mais real.

galaxia fanstasma
Imagem da mesma galáxia feita pelo telescópio Hubble. — Foto: NASA/Divulgação

Outro registro da “Galáxia fantasma” em espiral

A galáxia espiral M74 está localizada a 32 milhões de anos-luz da Terra, na constelação de Peixes. Ela é um dos alvos preferidos de entusiastas da astronomia devido à sua orientação: ela está bem “de frente” com a Via Láctea, como se estivesse nos encarando “olho no olho”. Desta forma, imagens mais comuns dela mostram em evidência seus longos braços em espiral.

publicidade

Leia também

Uma galáxia espiral como a “galáxia fantasma” costuma ser alvo de diversos estudos científicos, devido ao alto volume de material estelar que ela contém. Na maior parte dos casos, essas pesquisas envolvem a busca pelo entendimento de processos de formação de estrelas e pode pavimentar nosso acesso a um conhecimento maior sobre o início do universo. Alguns especialistas estimam que as estrelas mais jovens estão localizadas nos braços dessas respectivas galáxias, que normalmente têm um buraco negro supermassivo em seus centros.

publicidade

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!