Em uma carta enviada ao Twitter na última segunda-feira (29), Elon Musk citou as alegações feitas pelo ex-chefe de segurança do Twitter, Peiter Zatko, como uma das justificativas que reforçam sua decisão para não finalizar a compra da rede social.

Na denúncia, Peter Zatko, ex-chefe de segurança do Twitter, acusou a rede social de negligenciar questões de segurança, enganar as autoridades federais sobre a segurança da rede e não conseguiram calcular o número exato de bots presentes na plataforma.

publicidade

Leia mais:

Segundo a carta enviada por Musk e seus advogados, caso as declarações de Zatko se comprovem verdadeiras, elas demonstram violação das cláusulas importantes do acordo de compra pelo bilionário. 

publicidade

Embora a alegação do ex-chefe de segurança seja uma acusação separada da briga judicial entra Musk e o Twitter, as informações sobre problemas de segurança, contas bot e o engano intencional de investidores devem ser usadas pela defesa de Musk nos tribunais.

Peiter Zatkos, ex-chefe de segurança do Twitter. (Imagem: Reprodução/Defense Department)

Em resposta a carta de Musk, o Twitter divulgou um documento nesta terça-feira (30) dizendo que a rede social não violou nenhuma de suas obrigações sobre o acordo feito com o bilionário.

publicidade

Ex-chefe de segurança do Twitter diz que a rede social mente sobre bots, segurança e privacidade

Entre todas as acusações do ex-chefe de segurança, algumas se destacam: 

  • Acesso indiscriminado – Zatko afirma que muitos funcionários do Twitter tem acesso a sistemas críticos,segundo ele cerca de metade dos 7.000 funcionários tem acesso a dados pessoais e confidenciais de usuários e software interno que faz modificações na rede social. Os funcionários teriam milhares de notebooks com cópias completas de código-fonte do Twitter.
  • Enganar a FTC – A rede social teria enganado a Federal Trade Commission (FTC) – órgão americano que monitora práticas de segurança de dados – as alegações afirmam que o Twitter fez “declarações falsas e enganosas” sobre suas proteção de informações dos consumidores
  • Ignorar bots – Zatkos acusa o Twitter de mentir sobre o número de contas bots /spam. A rede social afirmou diversas vezes que o número de contas falsas era inferior a 5% do total de usuários.
  • Contratar agentes do governo indiano – O Twitter teria sido forçado pelo governo indiano a contratar uma autoridade do governo e permiti-lo “acessar grandes quantidades de dados confidenciais”.
  • Não excluiu dados dos usuários – A acusação afirma que a rede social não conseguiu excluir contas quando solicitado pelos usuários.

O Comitê Judiciário do Senado americano anunciou na última quarta-feira (24) que o ex-chefe de segurança do Twitter, Peiter “Mudge” Zatko, irá testemunhar ao Congresso sobre as acusações condenatórias dos problemas de segurança na rede social.A audiência vai acontecer no dia 13 de setembro. Zatkos irá participar após uma intimação enviada por senadores que consideraram as alegações feitas pelo ex-chefe podem ajudar a investigar a rede social e revelar os problemas de segurança.

publicidade

Imagem: Tada Images / Shutterstock.com

Com informações de The Wall Street Journal

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!