A Sony não ficou muito satisfeita com uma proposta feita pela Microsoft em relação à continuidade da franquia Call of Duty em consoles PlayStation. Em uma declaração ao site GamesIndustry.biz, o chefe da divisão de games da gigante japonesa, Jim Ryan, falou que a dona do Xbox fez uma proposta “inadequada em vários níveis.”

Jim Ryan se pronunciou após Phil Spencer, chefe da divisão de Xbox, afirmar que a Microsoft teria fechado um acordo para manter a franquia Call of Duty nos consoles PlayStation por “muitos anos” além do contrato atual da Activision Blizzard – adquirida pela Microsoft.

De acordo com o chefão do PlayStation, no entanto, as coisas são um pouco diferentes da versão de Spencer. Ryan disse que a Microsoft sugeriu manter a franquia nos consoles PlayStation por três anos além do contrato atual.

Call of Duty Modern Warfare 2
Call of Duty: Modern Warfare 2 ainda será lançado para consoles PlayStation. Imagem: Divulgação Activision

“A Microsoft só ofereceu manter Call of Duty no PlayStation por três anos além do acordo atual entre Sony e Activision. Após mais de 20 anos de Call of Duty no PlayStation, a proposta deles foi inadequada em muitos níveis e falhou ao considerar o impacto nos nossos jogadores. Queremos garantir aos gamers do PlayStation a continuidade da experiência de mais alto nível de Call of Duty, e a proposta da Microsoft enfraquece esse princípio,” disse o executivo da Sony.

publicidade

Não está claro até quando vai o atual acordo entre Sony e Activision, mas acredita-se que ele valha por mais três games, incluindo Call of Duty: Modern Warfare 2, que será lançado ainda neste ano. Nesse caso, os donos de PlayStation teriam novos jogos da franquia até 2027, seguindo o atual modelo de lançamento atual.

O desentendimento entre as duas empresas vem desde que a Microsoft anunciou a aquisição da Activision Blizzard por US$ 69 bilhões. O acordo ainda precisa ser aprovado por órgãos reguladores, e a permanência ou não de Call of Duty no PlayStation é vista como um possível entrave para a concretização do acordo.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!