Chegou o esperado momento para quem guardou alguns trocados para conseguir comprar o novo iPhone 14 no Brasil: a pré-venda começa nesta sexta-feira (7). Os novos smartphones da Apple chegam com melhorias sutis, continuam com alguns pontos positivos e também entregam surpresas menos agradáveis.

Resolvemos listar sete pontos para você levar em consideração antes de passar o cartão de crédito, efetuar o Pix, emitir o boleto ou mesmo assinar o cheque e colocar algum dos modelos de iPhone 14 na mochila.

Leia também:

iPhone 14 Plus só chega mais tarde

Uma das maiores novidades para a lista apresentada pela Apple durante o anúncio dos novos celulares foi o iPhone 14 Plus. Ter este sufixo não é exatamente uma inovação para a empresa, mas ele é mais do que apenas um nome longo para você pedir na hora de dizer qual iPhone quer.

publicidade
iPhone 14 e iPhone 14 Plus lançados pela Apple
iPhone 14 e iPhone 14 Plus lançados pela Apple / Divulgação: Apple

Em alguns reviews da imprensa internacional, que tem acesso antecipado ao produto, a alegação é de bateria maior em um nível onde ela chega a oferecer até três dias longe da tomada. Por outro lado, enquanto nesta sexta-feira (7) chegam todos os modelos, justamente o iPhone 14 Plus só vem depois.

Em alguns países a pré-venda dele começa na semana que vem, em outros apenas no fim deste mês. A Apple não marcou a data para o Brasil, mas meu chute envolve algum momento para a segunda quinzena de outubro.

iPhone 14 Pro é a grande evolução

Se você busca um grande passo na hora de atualizar seu smartphone, o iPhone 14 Pro e seu irmão, o iPhone 14 Pro Max, representam muito bem este tipo de desejo. É nestes dois que está o novo notch e a Dynamic Island, que entrega interação com o entalhe necessário para comportar os sensores responsáveis pelo Face ID e a câmera frontal.

Apple lança iPhone 14 Pro e 14 Pro Max
iPhone 14 Pro e 14 Pro Max / Divulgação: Apple

Só os novos iPhone 14 Pro contam com avanço na câmera, entregando sensor principal com 48 megapixels. Esta melhoria acontece pela primeira vez desde 2015, quando o iPhone 6s deixou os 8 e adotou 12 megapixels para este componente – até então era só um mesmo, hoje são três.

Outro ponto importante é que a Apple colocou um novo chip apenas nos iPhone 14 Pro e Pro Max. O novo A16 Bionic é uma evolução generosa quando comparado com a geração anterior, presente nos iPhone 13.

iPhone 14 pode não ser uma boa compra

Se você pensa em levar o iPhone 14, no modelo base mesmo, eu sugiro fortemente que você considere o iPhone 13 Pro. Você terá a mesma conexão 5G, a mesma proteção contra água e poeira, tela OLED com 120 e não 60Hz, brilho batendo em 1.000 e não 800 nits, exatamente o mesmo processador A15 Bionic e a mesma quantidade de RAM (6 GB), o que significa o mesmo desempenho.

Olhando para câmeras, a frontal é a mesma de 12 megapixels, mas na traseira o iPhone 13 Pro tem uma extra, faz macro e tem o sensor LiDAR – o iPhone 14 não tem a lente teleobjetiva com zoom óptico de 3 vezes.

Apple iPhone 13 Pro Max (Imagem: Mario Kurth/Olhar Digital)
iPhone 13 Pro Max (Imagem: Mario Kurth/Olhar Digital)

A Apple sabe tanto dessa semelhança que tirou o iPhone 13 Pro e Pro Max de sua loja, mas ainda é possível encontrar a dupla por valores partindo de R$ 6,3 mil, em grandes lojas do varejo. O preço oficial do iPhone 14 de base é R$ 7.599. Com isso o iPhone 13 Pro Max tem mais recursos e pode sair R$ 1,3 mil mais barato – baita negócio!

iPhone 14 Pro tem bandeja para chip no Brasil

Uma polêmica nasceu com o iPhone 14 Pro e seu irmão iPhone 14 Pro Max nos Estados Unidos: por lá a dupla é vendida sem bandeja para chip de operadora, chamada de SIM Card lá e por aqui também. Isso significa que este é o primeiro celular da Apple com suporte exclusivo para eSim.

Se você comprar um iPhone 14 Pro nos Estados Unidos, ele funciona normalmente com o eSim das operadoras brasileiras. Se a compra acontecer aqui no Brasil, os dois modelos Pro são vendidos com a mesma bandeja que existe desde sempre para os iPhones. Este é o mesmo cenário em todo mundo, a mudança ainda é exclusiva para o mercado onde a empresa da maçã nasceu – por enquanto.

Se você tem um iPhone 13, espere o próximo

Se você tem um iPhone 13 e pretende comprar o iPhone 14, minha recomendação é esperar o ano que vem. O argumento é o mesmo de dois pontos acima, sobre a pequenina evolução de uma geração para a outra. Ambos os celulares deste parágrafo são praticamente idênticos.

Cor azul do iPhone 13
iPhone 13 / Imagem: Mario Kurth

Se você ainda faz questão de ter o iPhone do ano, minha sugestão é partir para o iPhone 14 Pro. Ele sim traz novidades, melhorias e você vai sentir na pele a mudança. Se a grana estiver menos ilimitada, pense no iPhone 14 Plus que chega lá no fim deste mês.

Você vai precisar de capinhas novas

Pronto, você tem um iPhone 13 Pro e vai trocar por um iPhone 14 Pro: compre uma capinha nova. Por mais que ambos sejam praticamente idênticos ao olhar, na régua existem diferenças que impedem que sua capa protetora antiga encaixe no novo modelo.

A mudança está na casa dos poucos milímetros, mas para quem já colocou tanto dinheiro em um dos smartphones mais caros do mercado, uma capinha nova não deve pesar tanto assim, né?

iPhone 14 não tem o Always-on Display

Display Always-On do iPhone 14 Pro (Imagem: Divulgação/ Apple)
Always-On Display do iPhone 14 Pro (Imagem: Divulgação/ Apple)

Já falamos que o iPhone 14 não tem chip novo, praticamente não evoluiu suas câmeras, mas tem um ponto extra: ele não tem o novo recurso do Always-on Display. Com ele a tela baixa consideravelmente a taxa de atualização para ficar acesa o tempo todo, isso sem drenar a bateria – recurso que nasceu lá no Apple Watch.

Este recurso é exclusivo dos iPhone 14 Pro e Pro Max, justamente pelo tipo de tela OLED com taxa de atualização variável.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!