O TikTok está sendo investigado pela União Europeia pela transferência indevida de dados na China e pela publicidade direcionada para menores de idade. A informação foi confirmada pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

As investigações já estão em andamento em países como a Holanda e Irlanda. O objetivo é descobrir como os dados são processados pela rede social chinesa, como é a transferência de dados de usuários europeus para a China e o uso de informações sobre usuários menores de idade. 

Leia mais:

A Comissão está preocupada com a disseminação de informações falsas e conteúdos pró-China no aplicativo, o que poderia influenciar os usuários europeus – principalmente os mais jovens – que acessam as redes sociais.

publicidade

No Twitter, Brendan Carr, comissário da Comissão Federal de Comunicações publicou a carta que revela o andamento das investigações:

“A Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, confirma que as transferências de dados de #TikTok estão sob investigação e objeto de vários processos em andamento.

Isso ocorre após preocupações levantadas por membros do Parlamento Europeu sobre o acesso a dados de dentro da China”, tweetou Carr.

O comissário já havia publicado no Twitter uma série de denúncias sobre a coleta abusiva de dados pela rede social chinesa. 

“O TikTok não vê apenas seus usuários dançando vídeos.

Ele coleta históricos de pesquisa e navegação, padrões de pressionamento de tecla, identificadores biométricos, rascunhos de mensagens e metadados, além de coletar texto, imagens e vídeos armazenados na área de transferência de um dispositivo.”, escreveu Carr em junho deste ano.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!