John Jay Ray III é um famoso advogado especializado em reestruturação financeira de empresas com problemas. Em seu currículo está a administração de algumas das maiores falências corporativas da história, como a implosão da empresa de energia Enron após o escândalo contábil em 2001. Aos 63 anos, ele está assumindo a bolsa de criptomoedas FTX, que declarou falência recentemente.

Seu ex-presidente-executivo, Sam Bankman-Fried, renunciou no mês passado e foi preso nesta segunda-feira, nas Bahamas. Os promotores dos EUA indicaram diversas acusações criminais contra ele, e a Comissão de Valores Mobiliários o acusou de enganar grandes investidores, segundo o The New York Times.

Leia mais:

Ray vai depor na audiência perante o Comitê de Serviços Financeiros, já que Sam não irá comparecer. Em declaração preparada para o comitê, o advogado disse que nunca tinha visto “uma falha tão absoluta nos controles corporativos em todos os níveis de uma organização”.

publicidade

Ray acrescentou que a FTX era administrada por “um grupo muito pequeno de indivíduos grosseiramente inexperientes e pouco sofisticados”. Ele listou uma série de “práticas de gestão inaceitáveis”, como demonstrações financeiras não confiáveis ​​e “ausência de governança independente” entre a FTX e a Alameda Research, outra empresa de Bankman-Fried.

John Jay Ray III / Crédito: Sarah Silbiger/Bloomberg

O advogado afirmou que a FTX utilizou um software para “ocultar o uso indevido de fundos de clientes” e obteve acesso a dados confidenciais por meio de um e-mail de grupo não seguro. Desde que Ray assumiu a liderança, ele afirmou que cerca de US$ 740 milhões em criptomoedas foram recuperadas, e disse que esta é apenas uma pequena parte do que espera fazer. 

Ray e o restante da nova liderança da FTX se distanciaram de Bankman-Fried, dizendo no processo de falência que “o Sr. Bankman-Fried não é empregado dos devedores e não fala por eles”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!