Pioneiro na tecnologia de realidade virtual, John Carmack, está deixando a Meta após oito anos de trabalho. O motivo é que, para ele, a empresa está em transição de foco, antes em redes sociais e agora no mundo imersivo do metaverso

O ex-funcionário alega que a gigante de tecnologia está operando com a “metade da eficácia” e tem “uma quantidade ridícula de pessoas e recursos, que constantemente sabotam e desperdiçam esforços”. Carmack é ex-diretor da Oculus, empresa de realidade virtual que a Meta comprou por US$ 2 bilhões em 2014, e foi uma das vozes mais relevantes na liderança do desenvolvimento de headsets de realidade virtual. 

Leia mais:

“Tem sido uma luta para mim”, escreveu Carmack no post, que foi publicado em um fórum interno nesta semana sobre sua saída. “Eu tenho voz nos níveis mais altos aqui, então parece que eu deveria ser capaz de movimentar as coisas, mas evidentemente não sou persuasivo o suficiente”. 

publicidade

Carmack e Meta não responderam aos pedidos de comentários do The New York Times. O Insider informou anteriormente sobre a saída dele da empresa.

No entanto, sabemos que apesar da Meta estar se movendo rapidamente para o mundo da realidade virtual, o ex-executivo tinha ideias que iam de encontro às do atual presidente da empresa, Mark  Zuckerberg, e do diretor de tecnologia, Andrew Bosworth. 

A Meta vem enfrentando dificuldades devido aos seus altos gastos no metaverso e seu crescimento lento nas redes sociais. Em julho, o Vale do Silício registrou a primeira queda nas vendas como capital aberto. Neste ano, a empresa demitiu mais de 11 mil funcionários, ou seja, cerca de 13% dos trabalhadores da empresa. 

Carmack disse em um podcast que a perda de US$ 10 bilhões da Meta na época em que a divisão abrigava suas iniciativas de realidade aumentada e a realidade virtual o deixou “enjoado”. Ainda complementou dizendo que os esforços da empresa para se adequar ao mundo do metaverso foram prejudicados pela própria empresa e perseguidos por preocupações burocráticas com diversidade e privacidade.  

3-mark-zuckerber

Antes de trabalhar na Meta, Carmack foi pioneiro em desenvolver diversas técnicas de computação gráfica que se tornaram cruciais para os jogos que ele veio a desenvolver anos depois.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!