O governo de Tóquio disse em comunicado que será introduzido um sistema que exige que casas recém-construídas sejam equipadas com painéis solares a partir de 2025. A medida tem o objetivo de reduzir as emissões de carbono em domicílios menores que 2.000 metros quadrados.

A decisão foi tomada após votação na assembleia metropolitana de Tóquio. O governo estima que a implantação dos painéis de 4 quilowatts terá um custo inicial de 980.000 ienes, cerca de US$ 7.200. Com a instalação da tecnologia, o governo acredita que haverá uma significativa redução nos gastos públicos com energia e os custos de aluguéis também serão diminuídos.

publicidade

Leia mais:

Painel Solar
Imagem: Soonthorn Wongsaita/ Shutterstock

Conforme divulgado pelo Kyodo News, o novo sistema começará a ser implantado a partir de abril de 2025, após os residentes serem informados e os preparativos com as empresas forem realizados.

publicidade

A meta da cidade japonesa é reduzir pela metade as emissões de carbono até 2030. Tóquio estima que metade dos edifícios atuais serão substituídos por novas construções até 2050.

ESG: para reduzir as emissões de carbono é preciso engajamento

Todos sabem que devem fazer a sua parte para proteger o ambiente, reduzir as emissões de carbono e minimizar o aquecimento global. Mas o principal desafio para a maioria das pessoas no ambiente de trabalho é saber o que fazer e como começar. Ouvimos muito sobre as metas de emissões de carbono na conferência COP26 do ano passado em Glasgow (Escócia) e o assunto voltará às manchetes na COP27, em Sharm El Sheikh, Egito, em novembro deste ano.

publicidade

Os programas nacionais de redução de CO2 tendem a estar no centro das atenções nesses grandes eventos globais, e as metas de zero líquido já estão em vigor em mais de 70 países. Estes incluem os maiores poluidores – China, Estados Unidos e União Europeia, cobrindo cerca de 76% das emissões globais.

Grandes empresas também estão envolvidas. Na COP26, mais de 450 dos maiores bancos e fundos de pensão do mundo – em 45 países – e com ativos no valor de US$ 130 trilhões – se comprometeram com um objetivo fundamental de limitar as emissões de gases de efeito estufa.

publicidade

Para mais informações leia a matéria completa.