A Corsair, empresa de hardware de computadores, afirmou que seu teclado modelo K100 possuía um bug. O problema estava em algum texto inserido anteriormente, que era digitado pelo aplicativo do teclado dias depois. O que muitos acharam que era um malware, era apenas um problema do software de digitação. 

Os primeiros relatos ocorreram em agosto de 2022, o qual as pessoas ficaram preocupadas se seus dispositivos estavam infectados com algum tipo de vírus. Alguns usuários disseram que testaram o aparelho no modo de proteção de malware e ele ainda escrevia palavras aleatórias, e assim foi identificado o problema no teclado K100. 

Leia mais:

Um porta-voz da empresa disse que o dispositivo não possuía keylogging, nem monitora ativamente o que os usuários digitam neles. “Os teclados Corsair inequivocamente não registram a entrada do usuário de forma alguma e não têm a capacidade de registrar pressionamentos de tecla individuais”, disse a Corsair, segundo o Bleeping Computer

publicidade

O problema estava na função de gravação de macro, que fazia com que ela se ativasse por engano e gravasse as teclas digitadas e os movimentos do mouse. A causa do bug ainda não foi identificada, e a empresa diz que está analisando a situação e os dispositivos com problemas. 

Ainda sem conclusões para o teclado

Uma nova atualização de firmware não corrigiu o problema, muito pelo contrário. Após terem atualizado seus teclados, clientes estão reclamando de congelamento aleatório em algumas teclas, que podem estar ligados à configuração de alta taxa de polling. 

Crédito: Corsai

O único método, atualmente, para resolver o problema é desconectar o teclado e resetá-lo, redefinindo-o (para isso basta manter a tecla “Esc” pressionada por 5 segundos enquanto o conecta).

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!