Employee Experience, ou na tradução literal “experiência do funcionário”, é o que separa as organizações que conseguem atrair, cativar e reter os melhores talentos, daquelas que sofrem com a alta rotatividade e níveis insatisfatórios de produtividade e satisfação do cliente.

Dar voz ao funcionário, é perceber o que sua equipe precisa em tempo real, descobrir o que está funcionando ou não, dar prioridade as principais ações que podem ser tomadas e monitorar o progresso da equipe. Estes atos são fundamentais para programas eficazes de feedback. Tomar essas medidas críticas, também, é muito importante, e neste momento de mudanças no setor e pedidos de demissões massivas de funcionários isso se intensifica.

Leia mais:

De acordo com um estudo recente da Medallia, empresa em gestão de experiência, 50% dos funcionários que deixaram a sua última empresa, o fizeram sem ter um novo emprego e quase 60% dos funcionários dizem que se sentiam esgotados (síndrome de burnout), e emocionalmente exaustos em seus últimos trabalhos. Por outro lado, 70% dos trabalhadores que deixaram os seus empregos, devido à pandemia, dizem que perceberam que queriam e podiam ter um melhor equilíbrio entre a vida profissional e a pessoal.

publicidade

“Muitos gerentes tomam decisões que têm enormes implicações financeiras sobre a experiência do funcionário todos os dias. No entanto, tomam essas decisões sem dados, confiando na intuição, escuta de corredor e em suas próprias experiências e preconceitos pessoais. É por isso que precisamos mensurar a Experiência do Funcionário, para mudar esse paradigma e realmente possibilitar a tomada de decisões orientada por dados – e pela voz do colaborador – em toda a organização”, diz Melissa Arronte, Líder de Prática Global de Experiência do Funcionário da Medallia.

A relação entre ouvir os colaboradores e a sua satisfação, engajamento e experiência

De acordo com o  mesmo estudo anterior, a maioria dos funcionários cujos empregadores não coletam os seus comentários estão insatisfeitos com a sua empresa, em comparação com menos da metade dos funcionários que têm uma maneira de compartilhar feedback com os seus empregadores. 56% dos funcionários cujos empregadores não coletam os seus comentários dizem que não recomendariam a sua empresa como um ótimo lugar para trabalhar, em comparação a 32%, que têm uma maneira de compartilhar feedback com a sua empresa. É claro que investir na Experiência do Funcionário deve ser uma prioridade do negócio, se você planeja trazer qualidade de vida aos seus funcionários.

Mulher trabalhando
Créditos: Gorodenkoff/Shutterstock

Por que toda organização precisa de um programa de experiência do funcionário?

O trabalho de lançar um programa de experiência do funcionário, começa com a aceitação do executivo. Para ser realmente bem-sucedido, você precisará de toda a sua equipe de liderança por trás de suas iniciativas de Employee Experience. Esses acionistas devem estar alinhados filosoficamente com a importância e o valor de ouvir o seu pessoal.

Homem trabalhando de casa
Créditos Prostock-studioShutterstock

Para os defensores do feedback dos funcionários, que desejam implantar o lançamento de um programa de Experiência do Funcionário, aqui estão algumas ideias para embasar a conversa:

  • Alinhe a experiência do cliente com a empresa: ao apresentar a sua iniciativa, lembre às partes interessadas que sem funcionários, e sem funcionários engajados, é impossível dar vida à iniciativa da sua organização e, portanto, é fundamental para o sucesso dela entender o que promove a satisfação e a retenção dos funcionários.
  • Faça as contas: calcule o custo da rotatividade de funcionários e o retorno do investimento para melhorar a retenção. A falta de engajamento e a rotatividade de funcionários custa caro às organizações, desde o impacto financeiro das necessidades de contratação e treinamento até potenciais efeitos adversos no desempenho e na experiência do cliente, que podem somar vários milhões de dólares. Esses tipos de cálculos aproximados são realmente fáceis de estimar e podem dar à sua organização uma ideia de quanto a má experiência do funcionário está custando à sua empresa. 
  • Compartilhe os principais benefícios de investir na Experiência do Funcionário. Alguns dos benefícios de ter esse tipo de programa sao, obter insights sobre como os colaboradores se sentem dentro da organização; ao ter pessoas comprometidas e ouvidas, o comprometimento cresce, mantendo os colaboradores motivados; e ouvir os funcionários também ajuda a reduzir o burnout e a possibilidade de eles saírem para uma outra empresa. 
  • Adapte a conversa: descubra o que é mais importante para cada um dos seus líderes e vincule a sua mensagem ao motivo pelo qual fazer melhorias na Experiência do Funcionário beneficia os seus esforços.
  • A experiência do cliente e do funcionário andam de mãos dadas: a ligação entre a “experiência do cliente” e a “experiência do funcionário” andam juntas. Isso ajudará você a entender como os seus funcionários devem ser tratados e como eles querem ser tratados pela organização.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!