Células são estruturas funcionais que constituem todos os seres vivos – exceto os vírus – e são responsáveis por desempenhar diferentes funções nos organismos vivos. Por causa disso elas são muito úteis para o desenvolvimento de pesquisas, sejam elas células naturais ou artificiais, ambas com diferentes prós e contras. Por causa disso pesquisadores desenvolveram as células ciborgue.

As células naturais geralmente podem realizar tarefas complexas através de suas construções genéticas, no entanto a sua replicação descontrolada pode trazer problemas para uso terapêutico.  Já as artificiais não apresentam esse problema. Elas são baseadas em material sintético não replicante, no entanto são mais simples, exercendo funções mais definidas e controláveis.

Leia mais:

Em uma pesquisa recente publicada pela Advanced Science, pesquisadores criaram uma célula híbrida que eles apelidaram de célula ciborgue. Ela é composta por materiais sintéticos simples ao mesmo tempo que desempenha as funções complexas das células naturais.

publicidade

Para que as células ciborgues fossem desenvolvidas, os pesquisadores montaram uma estrutura de polímeros sintéticos, dentro de células bacterianas. A inserção dos polímeros impossibilitou a divisão da célula bacteriana, mas manteve as funções essenciais, como metabolismo celular, mobilidade e síntese proteica.

Aplicação da pesquisa

Além disso, as células adquiriram maior resistência a fatores como estresse, que geralmente as matam. Experimentos realizados na célula ciborgue também mostraram que elas podem ser modificadas para atacar células cancerígenas do organismo.

“Estamos entusiasmados com as aplicações potenciais das células ciborgues para resolver desafios ambientais, diagnosticar ou tratar doenças e modular a microbiota perturbada”

Cheemeng Tan, Ph. D. pela Universidade da Califórnia e coautor da pesquisa, em resposta à Phys.

Jack Hu, da Academia Sinica, na China e um dos coautores do estudo, destaca a integração de materiais sintéticos na manipulação celular. “As células Ciborgue demonstram o poder da biologia sintética na combinação de células naturais e materiais sintéticos” aponta Hu.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!