O Telescópio Espacial James Webb foi lançado a pouco mais de um ano, contendo 18 espelhos banhados a ouro que juntos possuem mais de 6 metros de diâmetro. No entanto, ele mal começou a ser utilizado e a NASA já tem planos para seu sucessor.

Na 241ª reunião da American Astronomical Society, a NASA fez diversos anúncios sobre seus planos de exploração espacial. Entre eles, um chamou mais atenção, a atualização do  Habitable Worlds Observatory (HWO).

O telescópio observará o espaço profundo em diferentes comprimentos de onda e ficará do lado do seu antecessor. O seu objetivo é principalmente descobrir vida no universo além da Terra.

Leia mais:

publicidade

A missão do novo telescópio 

Diversos exoplanetas potencialmente habitáveis já foram descoberto, mas nenhuma evidência de que realmente existiu ou existe vida fora da Terra foi encontrada. O HWO será lançado especificamente para pôr fim a essa questão.

O que impulsionou o desenvolvimento desse observatório foi um dos três desafios científicos chaves do Astro2020, uma pesquisa decadal da Academias Nacionais de Ciência, Engenharia e Medicina. As recomendações da publicação são:

  • Novos Mensageiros e Nova Física: descobrir e investigar coisas como matéria escura, energia escura, inflação cosmológica e outras. 
  • Ecossistemas Cósmicos: compreender a origem e a formação das galáxias, teias cósmicas e estrelas.
  • Mundos e sóis em contexto: encontrar mundos habitáveis como a Terra

Em resposta a essas recomendações a NASA criou o Programa de Maturação Tecnológica do Grande Observatório (GOMAP). O segundo dos seus três primeiros estágios se aprofunda na missão do HWO.

A previsão é de que o telescópio seja lançado na década de 2040. No entanto, estão sendo avaliadas maneiras de conseguir investimento para que o projeto seja acelerado, caso isso aconteça o HWO poderá ser lançado até 2035.

O que se sabe sobre o HWO

Ainda não se tem muitas informações de como vai ser o Habitable Worlds Observatory, mas espera-se que ele possua cerca de 6 metros diâmetros, semelhante ao telescópio James Webb, e que observe o espaço profundo em comprimentos de onda ultravioleta, óptico e infravermelho.

Estima-se que o HWO custará cerca de 11 bilhões de dólares, 1 bilhão a mais que o JWST e que ele opere no Segundo Ponto de Lagrange, onde também se encontra seu antecessor. O L2 é um ponto onde o campo gravitacional do Sol e da Terra que se equilibra e se encontra a 1,5 milhões de quilômetros do planeta.

O que diferencia o HWO do James Webb é sua possibilidade de reparação. O que permite que a NASA além de reparar, faça melhorias nele roboticamente. 

Os pesquisadores acreditam que o telescópio HWO vai ser um meio termo entre o HabEx do LUVOIR quanto ao seu potencial observacional, mesmo que leve no mínimo pelo menos uma década para ele ser lançado.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!