Um dos diversos objetos misteriosos derrubados pela Força Aérea dos EUA nos últimos dias – especificamente um no último fim de semana, abatido por um míssil de US$ 400 mil – pode ser um simples balão de brinquedo de US$ 12, afirma um relatório.

A Brigada de Balões Bottlecap do Norte de Illinois disse à Aviation Week que um de seus balões havia desaparecido e que pode estar entre os objetos abatidos pela Força Aérea dos EUA usando um míssil de busca de calor Sidewinder.

publicidade

Leia mais:

O clube disse que estava rastreando o curso de seu balão pico prateado. Sua última posição relatada foi em 10 de fevereiro a 38,9 mil pés ao largo da costa oeste do Alasca – exatamente onde um dos objetos foi encontrado.

publicidade

O balonismo do Pico envolve voar balões de alta altitude que se assemelham a balões de festa e, em seguida, rastrear sua trajetória de voo enquanto viajam pelo mundo. Um balão pico pode custar entre US$ 12 e US$ 180, de acordo com relatórios.

publicidade

De acordo com ferramenta de rastreamento da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), o balão estaria sobrevoando o território de Yukon, no Canadá, em 11 de fevereiro — o mesmo dia em que os EUA disseram ter derrubado objeto misterioso sobre o território.

Os paralelos são intrigantes, com os EUA dizendo que o objeto derrubado por seu jato F-22 era “de natureza cilíndrica” e voando no mesmo local e na mesma altitude do balão do clube.

publicidade

O balão deu a volta ao mundo várias vezes antes de ser declarado “desaparecido em ação” no último sábado, disse o grupo.

A Força Aérea dos EUA usou mísseis Sidewinder para derrubar o objeto sobre o Yukon, com OVNIs no Alasca na sexta-feira e sobre o Lago Huron em Michigan no domingo. Segundo relatos, os mísseis custam mais de US$ 400 mil cada.

Os sistemas de radar dos EUA foram ajustados para detectar mais objetos em meio à vigilância intensificada após a queda de um balão chinês na costa da Carolina do Sul na semana anterior. Os EUA disseram que o balão estava sendo usado para espionagem.

O presidente Joe Biden ordenou que os objetos fossem abatidos a conselho de altos oficiais militares, que não conseguiram determinar sua natureza ou propósito. Como os militares tentaram recuperar os destroços dos objetos caídos, a Casa Branca procurou diminuir as especulações de que eles podem ter origem extraterrestre.

Especialistas especularam que eles poderiam ter sido enviados por potências estrangeiras para testar as respostas dos EUA. Em coletiva de imprensa na quinta-feira (16), Biden disse que não havia evidências de que os objetos tivessem sido implantados para fins nefastos.

Nada sugere que eles estavam relacionados ao programa de balões espiões da China ou que eram veículos de vigilância de qualquer outro país. A avaliação atual da comunidade de inteligência é que esses três objetos provavelmente eram balões ligados a empresas privadas, recreação ou instituições de pesquisa que estudam o clima ou conduzem outras pesquisas científicas.

Joe Biden, presidente dos EUA

“Tentei entrar em contato com nossos militares e o FBI – e acabei de receber o retorno – para tentar esclarecê-los sobre o que muitas dessas coisas provavelmente são. E eles não vão parecer muito inteligentes para abatê-los”, disse Ron Meadows, cuja empresa da Califórnia projeta balões pico, à Aviation Week.

Com informações de Business Insider

Imagem destacada: U.S. Air Force photo/Staff Sgt. Christopher Hubenthal

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!