Ingressar no ensino superior durante a adolescência ou início da fase adulta é um dos momentos mais importantes para os jovens. Ao mesmo tempo em que novas obrigações surgem, a vida social também se intensifica. Estudos, estágios, tarefas domésticas e lazer acabam sendo prioridade, deixando muita gente com uma noite de sono mais curta.

Uma equipe de pesquisadores desenvolveu um projeto pioneiro para avaliar — durante o primeiro ano do curso — como o tempo de sono dos jovens no início do semestre afeta as notas finais, utilizando a GPA (grade point average, ou média de notas), utilizada para medir o desempenho acadêmico nos EUA.

Metodologia e resultados

  • Usando rastreadores de sono do tipo Fitbit (muito comum smartwatches, por exemplo), os pesquisadores descobriram que os entrevistados costumavam dormir uma média de 6,5 horas por noite.
  • Os problemas maiores ficam por conta dos que costumam dormir menos de 6 horas por noite.
  • O resultado dessa pesquisa foi publicado na revista Proceedings of the National Academy of Science.
  • Além disso, resultados de pesquisas anteriores já concluíram que noites de sono com maior duração resultam em melhor desempenho e melhora na saúde.
  • Os resultados indicam que o recomendado para os jovens é ter uma média de sono noturno entre 8 e 10 horas diariamente.

Leia mais:

Um dos profissionais responsáveis pelo projeto é David Creswell, professor de psicologia e neurociência no Dietrich College of Humanities and Social Sciences. Ele liderou um grupo de pesquisadores para avaliar a relação entre o sono e a GPA.

publicidade

Estudos em animais mostraram como o sono é crítico para o aprendizado e a memória […] Mostramos como este trabalho se traduz em humanos. Quanto menos sono noturno um estudante universitário do primeiro ano obtém no início do período escolar, mais baixo será o GPA no final do período, cerca de cinco a nove semanas depois. A falta de sono pode prejudicar a capacidade dos alunos de aprender em suas salas de aula da faculdade […] Uma crença popular entre os universitários é que vale a pena estudar mais ou festejar mais durante a hora do sono noturno […] Nosso trabalho aqui sugere que há custos potencialmente reais ao reduzir seu sono noturno em sua capacidade de aprender e alcançar resultados na faculdade.

David Creswell.

Via: Phys.org

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!