Quem já passou por um acidente ou lesão, sabe o quanto pode ser chata e dolorosa a reabilitação na fisioterapia. Felizmente, atualmente já existem profissionais que utilizam a realidade virtual nas sessões com os pacientes. Abaixo, o Olhar Digital lista 5 benefícios do uso da tecnologia para a recuperação.

Leia também:

Motivação e engajamento

Muitas pessoas ainda têm preconceitos com a fisioterapia, questionando inclusive por que ela não funciona. Podemos listar três comportamentos do paciente que atrapalham na recuperação:

  1. Imediatismo. Ou seja, ele procura soluções milagrosas para lesões complexas;
  2. Desinteresse em fazer os “deveres de casa” passados pelo profissional;
  3. Não ir com o tratamento até o fim, parando nos primeiros sinais de melhora.

Diante disso, a realidade virtual pode ajudar os pacientes a se sentirem mais motivados e engajados em seus exercícios de fisioterapia. Os ambientes virtuais interativos e imersivos podem tornar o processo de reabilitação mais agradável e menos entediante, o que, por fim, pode levar a uma maior aderência ao tratamento.

publicidade

Melhora da eficácia do tratamento

Reabilitação com óculos virtual
Óculos de realidade virtual podem promover reabilitação em pacientes com mobilidade reduzida. Imagem: WHYFRAME / Shutterstock

Outro motivo para usar a realidade virtual nas clínicas é a capacidade de simular situações específicas e movimentos que são difíceis de reproduzir na vida real. Essa virtualização pode ajudar os pacientes a melhorar sua coordenação e força muscular. Como consequência, trará uma maior eficácia do tratamento e melhores resultados.

Redução da dor

Pacientes que sentem muita dor ou desconforto durante os exercícios de fisioterapia também podem se beneficiar da realidade virtual. O primeiro motivo, mais óbvio, é a capacidade da tecnologia distrair a pessoa do que provoca o incômodo durante a sessão. O segundo, é a redução de ansiedade e estresse, que também contribuem para o aumento da percepção da dor.

Acessibilidade

Estima-se que cerca de 50% a 70% dos pacientes que se beneficiariam da fisioterapia não recebem tratamento devido a barreiras de acesso. Ou seja, a realidade virtual pode tornar a fisioterapia mais acessível para pacientes com dificuldades para se locomover ou que vivem em áreas remotas.

Além disso, a tecnologia pode reduzir custos e aumentar a quantidade de atendimentos no sistema público de Saúde. Afinal, ela permite fornecer tratamento a muitos pacientes simultaneamente.

Monitoramento e feedback

Atualmente, a teleconsulta é a preferência de muitas pessoas. Por isso, a realidade virtual pode contribuir no monitoramento e feedback aos pacientes durante o tratamento. Aliás, os dados coletados durante a sessão de fisioterapia virtual podem ajudar também os terapeutas a ajustar o tratamento de acordo com as necessidades individuais do paciente.

Com informações da Central da Saúde e OTA International.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!