Uma equipe de pesquisadores e arqueólogos da Simon Fraser University (SFU) e da Universidade de Ottawa estão trabalhando em conjunto para estudar antigos grafites enquanto fazem imagens tridimensionais do Templo de Ísis, no Egito.

As primeiras descobertas da pesquisa foram publicadas na revista Egyptian Archaeology e agora os cientistas retornaram para o Complexo de Templos em Philae, uma ilha do Rio Nilo, no Alto Egito, onde está localizado o Templo de Ísis.

De acordo com os os pesquisadores, os antigos grafites localizados nas paredes dos templos possuem semelhanças com os de atualmente, principalmente por representarem as camadas mais pobres da sociedade.

A arquitetura icônica do antigo Egito foi construída por pessoas em posições de poder e riqueza, mas o grafite registra as vozes e atividades de todos os outros. O edifício funciona como uma esponja gigante ou bloco de notas para gerações de pessoas de diferentes culturas por mais de 2.000 anos.

Nick Hedley, coautora da pesquisa, em comunicado da SFU

Leia mais:

publicidade

Mapeamento tridimensional

Nas paredes, tetos e colunas do templo podem ser encontrados centenas, ou até mesmo milhares de grafites, alguns esculpidos com menos de um milímetro de espessura e as imagens 3D fornecem uma precisão essencial para o estudo deles.

A documentação do grafite, o contexto arquitetônico e os espaços em que eles estão inseridos são feitas a partir de fotogrametria, raking light e varredura a laser permitindo que eles sejam vistos com dinamicidade, em multicamadas e em evolução, o que fotografias bidimensionais não permitem, de acordo com Sabrina Higgins, coautora da pesquisa. “As técnicas que estamos aplicando ao projeto vão mudar completamente a forma como o grafite e o templo podem ser estudados”, aponta ela.

As gravações tridimensionais permitirão que os grafites sejam estudos de pontos de vistas impossíveis na realidade e a partir de qualquer lugar, além permitir observar sua localização dentro do templo. No entanto, os pesquisadores acreditam que a pesquisa fornece contribuições muito além para arqueologia. 

Embora meu papel principal neste projeto seja ajudar a construir o conjunto definitivo de planos de parede digital para o Mammisi em Philae, também estou demonstrando como os métodos emergentes de captura da realidade espacial podem mudar fundamentalmente a forma como coletamos e produzimos dados e transformamos nossa capacidade de interpretar e analisar esses espaços. Este é um espaço para assistir!

Nick Hedley

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!