O LinkedIn está lançando um novo sistema de verificação gratuito para comprovar a identidade e onde os usuários trabalham. Ao contrário de outras redes sociais, como Instagram, Facebook ou Twitter, você não precisará pagar nada para obter o selo.

Para isso, segundo a plataforma da Microsoft, basta verificar seu local de trabalho usando um endereço de e-mail corporativo. Nos EUA, também será possível um documento de identificação oficial emitido pelo governo e um número de telefone para verificar a identidade.

Leia mais:

Segundo o comunicado oficial, os selos vão aparecer em destaque ao lado do nome do usuário e a verificação via e-mail corporativo já está disponível para mais de 4 mil empresas. Outros métodos de autenticação serão disponibilizados no fim de abril em formato de teste.

publicidade

O que motivou a mudança?

À medida que mais organizações contratam remotamente, algo que explodiu nos últimos anos de pandemia, a necessidade de verificação de credenciais nunca foi tão importante. É o que explicou Alex Weinert, vice-presidente de segurança de identidade da Microsoft, em entrevista ao The Verge.

Vimos um aumento constante em apresentações fraudulentas com pessoas fingindo ser quem não são de formas diferentes. Você quer realmente saber que, se interagir com alguém que diz ser empregado de uma determinada empresa, você pode confiar em quem eles dizem ser. A necessidade disso é bem clara.

Alex Weinert, vice-presidente de segurança de identidade da Microsoft

A Microsoft também está trabalhando em seu próprio sistema de verificação, o “Entra”, que também será usado pelo LinkedIn. A ferramenta gera IDs verificados digitalmente que podem ser usados ​​até para verificar antecedentes criminais. As empresas poderão usar a novidade para emitir IDs digitais assinadas criptograficamente, destaca a Microsoft.

LinkedIn testa recurso de IA para otimizar perfis

O LinkedIn também anunciou em março que vai integrar inteligência artificial na plataforma. A ideia é que a tecnologia ajude usuários a otimizar o conteúdo dos perfis, como descrever melhor cargos, por exemplo.

A ferramenta vai “escanear” a página e fornecer resumos e sugestões para melhorar seções do perfil. O acesso à ferramenta será disponibilizado a todos os assinantes do LinkedIn Premium nos próximos meses. 

Via: The Verge

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!